Chopp é só no Brasil

Nenhum outro país chama cerveja desse jeito. Entenda como essa jabuticaba linguística surgiu.

Fábio Marton

Cerveja na torneira lá fora, só com dicionário. | <i>Crédito: Pixabay
Cerveja na torneira lá fora, só com dicionário. | Crédito: Pixabay

DITO & FEITO

É bem possível que um dia, em algum lugar no exterior, um brasileiro tenha pedido um chopp e ganhado uma expressão vazia como resposta. Por mais que bares e fabricantes insistam em escrever o nome assim, tão "internacional", com dois pês e final mudo, a palavra "chope" ou "chopp", tanto faz, é de uso exclusivamente brasileiro.

Ao menos no sentido que damos a ela: cerveja tipo lager não pasteurizada, vendida em barris e servida na torneira - a draft beer, em inglês, fassbier, em alemão, caña, em castelhano, e fino, em português de Portugal. 

Se chopp é uma jabuticaba linguística, sua origem é, de fato, internacional: a palavra vem do alemão schoppen - que quer dizer "pinta", medida que variava de país a pais e tinha por volta de meio litro (o pint inglês, que sobrevive, tem 568 ml). Medida que, por extensão, batizou a caneca desse tamanho, na qual era servida a cerveja. Afrancesada para chope, chegou aqui no século 19, época em que o brasileiro estava sendo introduzido à cerveja. "Um chope" era o jeito de pedir a bebida em um recipiente específico. Com o tempo, a palavra passou a significar o conteúdo do copo.


VEJA MAIS:

Conecte-se

Revista Aventuras na História