De onde veio isso de 'lavar a égua'?

O banho original era um luxo só

Redação AH

Pocotó, pocotó, pocotó | <i>Crédito: Shutterstock
Pocotó, pocotó, pocotó | Crédito: Shutterstock

DITO & FEITO


A origem desse termo, usado quando alguém realiza um negócio muito vantajoso ou obtém uma vitória esportiva por contagem bastante elevada, está relacionada ao turfe. Nos tempos áureos das corridas de cavalo no Brasil, os hipódromos eram cheios de glamour, e uma grande quantidade de dinheiro circulava entre apostadores e proprietários de animais.

Nessa época, era comum que os donos dos cavalos e das éguas vitoriosos usassem champanhe, em vez de água, para banhar os animais depois das corridas. Com o tempo, a expressão passou a ser usada para se referir a momentos de glória e realização e ganhou variações. A frase "lavar a égua" pode ser ouvida nas versões "lavar a burra" e "lavar a jega".


VEJA MAIS:

Conecte-se

Revista Aventuras na História