Dito & Feito: Sinistro

Romanos tinham um problema com o lado esquerdo

Redação AH

Vampira, a vamp original que atuou para Ed Wood | <i>Crédito: Reprodução
Vampira, a vamp original que atuou para Ed Wood | Crédito: Reprodução

Contratempo, infortúnio, mau agouro, funesto, ameaçador, temível, mau, pernicioso, desastre, calamidade, ruína - definições do Dicionário Michaelis para "sinistro". A única que não poderia ser usada numa resenha de filme de terror é a que é fiel ao sentido original: esquerdo. Era isso o que queria dizer sinistrum, a origem latina da palavra. Ou ao menos no sentido literal. As outras conotações surgiram através dos áugures, sacerdotes romanos que interpretavam sinais dos deuses, que podiam vir na forma de trovões ou na direção do voo dos pássaros.

Nessas leituras, que eram feitas quando uma autoridade estava prestes a assumir o cargo, se o sinal aparecia à esquerda era considerado uma manifestação negativa dos deuses - um mau augúrio. Assim, o lado esquerdo passou a ser usado como metáfora para qualquer coisa ruim entre os romanos. A superstição não desapareceu com o cristianismo, que trazia ideias como as do Evangelho de Mateus, no qual, no fim dos tempos, Deus "colocará as ovelhas à sua direita e os bodes à sua esquerda" - quem vai para o inferno fica à esquerda. No italiano, ainda hoje sinistro quer dizer tanto "esquerda" quanto "macabro". 

O português medieval derivou do basco ezker a palavra "esquerdo", sem essas conotações negativas. "Sinistro" acabou reservado para o lado sombrio das coisas - ou, se você vive no Rio, muito pelo contrário, coisas realmente impressionantes. Outro caso de mudança de sentido. 

Conecte-se

Revista Aventuras na História