O que o coco e a Cuca têm em comum?

As duas palavras têm a mesma - e tétrica - origem

Fábio Marton

O coco e a cuca | <i>Crédito: Reprodução
O coco e a cuca | Crédito: Reprodução
DITO & FEITO

O coco foi descoberto pelos portugueses na viagem de Vasco da Gama ao território de Malabar (1497-1498), na Índia. A maioria das descobertas por ali ficou com o nome dado pelos nativos, como a jaca (do malabar chakka) e a manga (do tâmil mangai ). (Tâmil e malabar, este hoje mais conhecido como malaiala, são línguas dravídicas do sul da Índia, não aparentadas com o hindi.) 

Por razões perdidas para a História, com o coco, chamado de tenga pelos malabares, foi diferente. "Coco", em português da época, queria dizer caveira ou cabeça. A fruta, com seus três buracos, pareceu meio tétrica aos navegadores.

Mas seu lado sinistro não para por aí. Coco significava cabeça porque havia um monstro do folclore com esse nome, um fantasma com cabeça de caveira, espécie de bicho-papão. Para assustar as crianças, os portugueses cavavam olhos em vegetais, como rábanos ou cabaças, e colocavam velas dentro, que também levavam o nome de coco. Tal como uma abóbora de Halloween - e talvez elas estejam ligadas, porque a origem de ambos está relacionada aos celtas. Coco, assim, passou a assumir o significado de qualquer coisa assustadora. 

No Auto da Barca do Purgatório, de Gil Vicente, de 1518, ninguém menos que Satã é chamado de coco por um menino:

"Mãe e o coco está ali
queres vós estar quedo co'ele?
Demo: Passa passa tu per i.
Menino: E vós quereis dar em mi
Ó demo que o trouxe ele."

Com "coco" sendo um termo genérico para coisas medonhas, acabou por batizar o dragão de São Jorge: a coca (pronuncia-se "côca") ou cuca. Ainda hoje, na cidade portuguesa de Monção, no dia de Corpus Christi a coca luta com São Jorge, na forma de um dragão com rodinhas. 


Não é segredo onde Monteiro Lobato pegou sua inspiração, abrasileirando um dragão para um jacaré. Não só a cuca não é invenção brasileira como "coco" significava cabeça antes da fruta e os hippies não foram os primeiros a ter cuca fresca. 

VEJA MAIS:

Conecte-se

Revista Aventuras na História