Crânios de bebês 'alienígenas' encontrados na Crimeia foram deformados pelos próprios pais

Eles viveram há 2 mil anos e achavam que ficava mais bonito assim

Tatiana Bandeira

Deformação nem era tão incomum assim | <i>Crédito: Archaeology Fund/east2west news
Deformação nem era tão incomum assim | Crédito: Archaeology Fund/east2west news

Os crânios acima foram encontrados por arqueólogos em Kerch, na Crimeia, na Rússia. Eles têm quase 2 mil anos de idade e pertenceram aos sármatas, nômades das estepes da Eurásia. Deformado artificialmente, teve a cabeça amarrada enquanto bebê, no que parece ser uma tradição entre eles. 

Perto do esqueleto foi encontrado um vaso feito de argila, juntamente com pequenas contas. No braço do menino, que teria entre 18 meses e 2 anos, também havia uma pulseira de cobre. Embora tenha sido identificado como do sexo masculino, os sármatas também foram famosos por suas mulheres guerreiras que ajudaram a conquistar a Crimeia nos tempos antigos.

Os arqueólogos foram os primeiros a apelidar o lugar de "tumba alienígena". Mas a internet fez seu trabalho e surgiu gente levando a sério. Um jornal russo chegou a dizer que "alguns adeptos das teorias dos" astronautas antigos "afirmam que os donos desses crânios alongados podem ser híbridos de humanos-extraterrestres". 

A verdadeira explicação é mundana. "Os crânios alongados eram tradicionais para a cultura sármata", disse Niolay Sudarev, do Insituto de Arqueologia da Academia Russa de Ciências, ao jornal Moskovsky Komsomolets. "Eles achavam mais bonito."

O crânio artificialmente alongado era a prova de que ali havia um "verdadeiro guerreiro". O processo de deformação do crânio foi praticado por uma série de culturas antigas, como os hunos que atacaram Roma, povos germânicos, aborígenes australianos, maias e incas. “Começava no início da infância, quando os ossos ainda eram moles e não era necessária cirurgia. Placas de madeira especiais eram amarradas ao crânio, pressionando os ossos e alterando gradualmente a forma. Tais deformações foram feitas para tonar os guerreiros mais agressivos ".
 
A descoberta foi feita em Kyz-Aul, perto de Kerch, próximo de uma ponte gigante em construção, encomendada pelo presidente russo Vladimir Putin. A ponte conectará à Rússia a península da Crimeia, anexada da Ucrânia após uma invasão e um plebiscito condenados pela comunidade internacional.




 
 
Teorias malucas

 


VEJA MAIS:

Conecte-se

Revista Aventuras na História