Gigantes de 5 mil anos são encontrados na China

Esqueletos não passariam vergonha na NBA hoje

Thiago Lincolins

Esqueletos China | <i>Crédito: Reprodução/Youtube
Esqueletos China | Crédito: Reprodução/Youtube

Eles viveram há 5 mil anos, no final do Neolítico chinês, às portas da invenção da escrita. E não fariam feio numa equipe de basquete hoje. 

O esqueleto encontrado medindo 1.90 de altura / Reprodução: Youtube

Os homens tinham em média 1,80 metro - um deles, com mais de 1,90. Pode não soar tão impressionante hoje em dia, mas é uma monstruosidade para a época. A altura média dos chineses ainda hoje é 1,72, e já foi 10 cm menor há um século. Daí os próprios arqueólogos terem os chamado de "gigantes". "Essas medidas são baseadas apenas na estrutura óssea. Se essas pessoas estivessem vivas, seus tamanhos excederiam 1.90 de altura", disse Fang Hui, líder da escola de história e cultura da Universidade de Shandong à imprensa chinesa.

Aparentemente, ser alto determinava o lugar de alguém na hierarquia. Junto aos corpos estavam também objetos, entre eles potes coloridos e artigos feitos a partir da Jade, a pedra fina símbolo da China. 

Os túmulos mais ricos são os dos maiores homens. Ou, melhor dizendo, estar por cima na hierarquia fazia alguém ver por cima das cabeças: os cientistas acreditam que essa altura toda foi alcançada graças à uma alimentação superior. Essas pessoas possuíam uma vida confortável pois as 104 casas encontradas possuíam quartos separados e cozinhas.

Objetos encontrados nos túmulos / Reprodução: Youtube

As escavações começaram em 2015, na vila de Jiaojia, província de Shandong. Além das 104 casas, foram achados 205 túmulos e 20 poços que eram usados para sacrifícios (animais). Pertenceram à chamada cultura Longshan. A província é a terra natal de Confúcio - que, pelos relatos da época, tinha também 1,90 metro.



VEJA MAIS:

Conecte-se

Revista Aventuras na História