No talvez maior achado marítimo de todos os tempos, 60 naufrágios foram encontrados no Mar Negro

A maioria das embarcações que pertenceram aos impérios romano, otomano e bizantino

Thiago Lincolins

Um dos navios encontrados em um bom estado de conservação | <i>Crédito: Rodrigo Pacheco-Ruiz
Um dos navios encontrados em um bom estado de conservação | Crédito: Rodrigo Pacheco-Ruiz

Iniciadas em 2015, as expedições do Black Sea Maritime Archaeology Program, um grupo internacional envolvendo universidades dos EUA, Inglaterra, Suécia e Bulgária, revelaram muito mais do que seus participantes esperavam. Em suas buscas no fundo do Mar Negro, os arqueólogos se depararam com 60 navios afundados, que foram datados em até 2.500 anos.

Inicialmente, os arqueólogos estavam atrás de respostas para as mudanças climáticas ocorridas ao longo da história na Costa da Bulgária. Então toparam com um enorme cemitério de navios dos impérios romano, otomano e bizantino.

Um navio do império bizantino / Rodrigo Pacheco-Ruiz

O excelente estado de preservação dos navios impressionou aos pesquisadores. Ele se deve à notória falta oxigênio no fundo do Mar Megro, por conta de sua natureza meromítica, na qual a água do topo, com oxigênio, não se mistura com a do fundo, que termina totalmente anóxica e hostil à qualquer forma de vida. Como as que naturalmente habitariam e destruiriam os naufrágios.

Várias características vistas nos navios só eram conhecidas de desenhos ou descrições por rescrito. "É como se estivéssemos olhando para um navio de um filme, com cordas ainda no convés e esculturas na madeira.", diz Ed Parker, CEO do Black Sea MAP, ao Mirror. "Quando eu vi esse navio, fiquei realmente emocionado - o que descobrimos é incomparável."

Os detalhes de uma das embarcações encontradas / Rodrigo Pacheco-Ruiz

As imagens foram registradas com câmeras que possuem uma tecnologia 3D. A descoberta traz ao mundo novas informações sobre as atividades coloniais e comerciais destas antigas civilizações.

O time de pesquisadores foi procurado por Andy Byatt, produtor da série Blue Planet, da BBC e vencedor do British Academy Film Awards, que prometeu fazer um documentário sobre a talvez maior descoberta marítima de todos os tempos. 


VEJA MAIS:

Conecte-se

Revista Aventuras na História