Esqueleto de homem-pássaro intriga arqueólogos

Enterrado com um colar feito de crânios e bicos de aves, o cadáver de 5 mil anos foi encontrado na Sibéria

Joseane Pereira Publicado em 05/06/2019, às 11h36

The Siberian Times

Na Sibéria, arqueólogos desenterraram um esqueleto que portava algo, no minímo, inusitado: um colar com dezenas de bicos e crânios de pássaros. Datados de 5 mil anos atrás, os restos do homem-pássaro foram encontrados na escavação de Ust-Tartas, em Novosibirsk, Sibéria.

O achado poderá revelar aspectos da cultura de Odinov, datada de 18 a 16 a.C., que habitou a Sibéria Ocidental no período conhecido como Idade do Bronze.

Sob o crânio do sujeito estavam cerca de 30 a 50 crânios de aves, assim como longos bicos. Embora as espécies ainda não tenham sido identificadas, acredita-se que eram grandes aves costeiras, como garças.

Segundo a pesquisadora do Instituto de Arqueologia e Etnografia de Novosibirsk, Lidia Kobeleva, "Os objetos foram colocados como se quisessem cobrir o pescoço, como um colarinho”.

Fragmentos de aves que formavam colar / Créditos: The Siberian Times

 

"Enquanto movíamos os ossos na área do pescoço, encontramos bicos de aves deitados de forma a cobrir o pescoço, como um colar. Por isso acreditamos que poderia ter sido parte de uma vestimenta. É difícil chamar isso de armadura, mas era a parte de uma roupa que protegia a pessoa", explicou a pesquisadora em entrevista concedida ao The Siberian Times.

Os arqueólogos ainda não identificaram a maneira como os restos de pássaros se prendiam um ao outro ou às roupas do cadáver, já que não foram detectados furos nos crânios e bicos.

E o homem-pássaro não estava sozinho: ao seu lado, foi localizada uma sepultura com duas crianças - de aproximadamente 5 e 10 anos - e o esqueleto de outro homem adulto, este separado por uma divisa de madeira. Perto de seu crânio foram encontrados uma máscara de bronze com buracos para os olhos e uma espécie de cruz. 

Caption

 

Os arqueólogos supõem que as pedras polidas, encontradas junto ao corpo do outro adulto, eram de uso cerimonial, o que indica que esse indivíduo possa ter realizados rituais  junto ao outro esqueleto. "Ambos os homens podem ter desempenhado papéis especiais na sociedade", afirmou Kobeleva.

Leia também

Arqueólogos encontram enorme coleção de vasos funerários em planície do Sudeste Asiático
Arqueólogos encontram esqueleto de possível rainha maia e restos de uma criança sacrificada
Cavalo extinto será clonado do DNA de um potro de 42 mil anos de idade
Homem encontra moeda de 2.000 anos estampada com o rosto do imperador romano Aleto que vale R$ 500 mil
Óvulo em formação é descoberto em fóssil de pássaro antigo de 110 milhões de anos
artefatos homem-pássaro colar de crânios e bicos Sibéria Lidia Kobeleva