Arma biológica ambulante

Em vez de bombas, vírus da hepatite C e da AIDS

Mauro Tracco Publicado em 01/03/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Terroristas não apenas desenvolvem novas armas biológicas: eles próprios podem se transformar em uma. A divulgação de casos de homens-bomba contaminados com o vírus da hepatite B gera especulação sobre o surgimento de uma nova tática de terrorismo. Em um dossiê de 2005, a IACP (Associação Internacional de Chefes de Polícia) informa que suicidas infectados com hepatite e HIV podem espalhar doenças em fragmentos de ossos e unhas ensangüentados. Mas apenas dois casos foram confirmados, ambos em Israel.