Berlim, 1945, Peter Damon, rifles Kalashnikov

Berlim, 1945, Peter Damon, rifles Kalashnikov

Gustavo Heidrich Publicado em 12/07/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

A estação Gesundbrunnen do U-Bahn, o sistema de metrô de Berlim, tinha sido projetada para comportar 1 500 pessoas, mas tinha mais de três vezes esse número nos primeiros meses de 1945. Velas espalhavam-se por todo lugar e, além de fornecer uma iluminação escassa, serviam para medir o nível de oxigênio. Ao se apagar uma vela no chão, as crianças eram alçadas sobre os ombros dos mais velhos. Se alguma outra, sobre uma cadeira, se apagasse, era hora de começar a evacuar a estação. Ou, então, se a chama de uma última vela, colocada na altura do queixo, se extinguisse, todos deveriam correr para a superfície, mesmo que fosse em meio a um bombardeio aéreo.

A vida nos bunkers e estações de metrô era uma constante para os 2,7 milhões de habitantes que restavam na capital do Terceiro Reich, em 1945. Cerca de 300 bombardeios aéreos, que assolavam a cidade desde 1940, e o avanço de 2,5 milhões soldados e mais de 6 mil tanques do Exército Vermelho devastaram avenidas, ruas, pontes, sistemas de água, luz e transporte, além de quase metade das casas e um terço dos prédios residenciais. Entre os soldados soviéticos, era comum a prática de estupros coletivos de civis alemãs e os saques a estabelecimentos comerciais e casas. Até a capitulação, que seria assinada no dia 8 de maio de 1945, 50 mil civis pereceriam em meio aos 80 milhões de metros cúbicos de entulho acumulados em Berlim.

Em 19 de março de 1945, com a iminência do cerco soviético sobre a capital, Adolf Hitler deu a ordem que ficou conhecida como “terra arrasada”. Nela, o Führer determinava que instalações militares, de transporte, comunicações e suprimentos e toda a estrutura física da capital, que pudesse servir aos soviéticos, fossem destruídos. “Caso a guerra seja perdida, o povo também estará perdido e não é necessário se preocupar com as suas necessidades de sobrevivência elementar”, disse Hitler em um memorando. “Os que restarem após esta batalha serão, de qualquer maneira, apenas os inadequados, porque os bons estarão mortos.” Em 30 de abril, o próprio Füher uniu-se aos “bons”, cometendo suicídio ao lado de Eva Braun.

 

Números que retratam a destruição

A precária infra-estrutura da cidade refletia a baixa qualidade de vida em maio de 1945

• 37 dos 38 reservatórios e 99,9% dos dutos de gás de Berlim estavam destruídos.

• Nenhum dos 100 mil postes de luz das ruas funcionava.

• As 19 estações de tratamento de água da cidade estavam danificadas.

• 122 das 188 agências dos Correios estavam fora de operação.

• As 46 centrais telefônicas estavam fora de funcionamento.

• Dos 4 300 km de ruas, 1 350 km estavam destruídos.

• De 153 mil veículos motorizados da cidade, apenas 115 continuavam funcionando.

• 2 739 dos 2 832 trens de superfície, 1 056 dos 1 101 dos trens subterrâneos e 649 dos 667 ônibus estavam danificados.

• Dos 33 mil leitos em hospitais antes disponíveis, 24 mil não podiam ser usados e nenhuma das 400 ambulâncias funcionava.

• Das 649 escolas, 149 estavam destruídas, 439 danificadas e 81 foram disponibilizadas para outros usos.

• 32 teatros foram parcial ou totalmente destruídos. Quase a totalidade das 106 bibliotecas foram queimadas e, das 400 salas de cinema de Berlim, apenas 20 continuavam em funcionamento.

• 9500 dos 12 mil armazéns de distribuição de comida estavam destruídos.

 

Batalha nos Tribunais

Imagens distorcidas

Veterano processa MichaelMoore em 85 milhões de dólares
Mauro Tracco

O americano Peter Damon perdeu dois braços na Guerra do Iraque, mas não guarda nenhum ressentimento contra o presidente George W. Bush – apenas do cineasta Michael Moore. O sargento da Guarda Nacional ficou surpreso ao saber que aparecia no filme Fahrenheit 9/11, já que nunca fora procurado pela produção do documentário. O premiado diretor comprou e usou imagens de uma entrevista concedida ao programa Nightly News, da rede de TV NBC. Damon afirma que, além de nunca ter autorizado o uso de sua imagem, Moore editou seus depoimentos com a intenção de distorcer a verdade.

Segundo o veterano, o filme mostra-o reclamando dos esforços de guerra quando, na verdade, ele se referia às dores do ferimento que sofreu. A fita também dá a impressão de que Damon se sente abandonado pela administração Bush, mas ele afirma no processo que “concorda e apóia o esforço de guerra do presidente dos Estados Unidos, e que não foi deixado para trás”. Por todos esses motivos, Damon e sua mulher exigem 85 milhões de dólares de indenização por “perda de reputação, estresse emocional e humilhação”.

O militar, que exercia a função de mecânico e eletricista, perdeu os braços durante uma explosão acidental, enquanto fazia a manutenção de um helicóptero. Em uma entrevista a ABC News, há dois anos, ele declarou: “De certa maneira, tive sorte de perder ambos os braços, porque me disseram que posso pegar uma pensão integral por invalidez”. Graças ao erro de Moore, a sorte do sargento pode ser maior do que ele imaginava.

 

Tipo Exportação

Os russos estão chegando

Venezuela vai fabricar rifles Kalashnikov
Mauro Tracco

Cerca de 30% dos 100 mil rifles AK-103 que o governo do venezuelano Hugo Chávez comprou da Rússia já foram entregues. É a primeira vez que o modelo atravessa a fronteira russa – para o desgosto dos americanos, que se opõem à venda por achar que as armas serão usadas para desestabilizar a região. O contrato engloba a fabricação da arma. A Venezuela será o primeiro país ocidental com uma licença para fabricar rifles Kalashnikov. “Os russos vão instalar uma fábrica de rifles Kalashnikov e uma fábrica de munição. Assim, vamos poder defender cada rua, cada morro, cada esquina”, declarou Chávez.

• O AK-103 é uma versão moderna do famoso modelo AK-47, desenvolvido pelo russo Mikhail Kalashnikov em 1947.

• Usa peças de plástico para substituir componentes de metal e madeira, onde for possível, com o objetivo de reduzir o peso.

• Luz tática, mira telescópica, mira a laser e silenciador podem ser acoplados ao rifle.

• Calibre: 7,62 mm x 39 mm

• Comprimento: 943 mm (700 mm com a coronha dobrada)

• Peso: 3,4 kg (sem o pente)

• Capacidade do pente: 30 cartuchos

• Cadência: 600 tiros por minuto

• Alcance de mira: 1 000 m