Brasil x EUA no Vietnã

O Gosto da Guerra e Despachos do front abordam a mesma guerra sob diferentes ângulos

Mauro Tracco Publicado em 12/07/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Em 1967, duas revistas inovadoras decidem enviar um correspondente ao Vietnã. O brasileiro José Hamilton Ribeiro perdeu a perna enquanto cobria a guerra para a Realidade, da Editora Abril. Michael Herr perdeu alguns neurônios em sua cobertura para a Esquire, revista norte-americana destinada ao público masculino jovem.

O uso de substâncias ilícitas e as impressões do horror deram origem a Despachos do Front, considerado por muitos críticos como o melhor livro já escrito sobre a Guerra do Vietnã. Após lê-lo, Francis Ford Coppola convidou Herr para colaborar na obra-prima do cinema de guerra, Apocalipse Now (1979). Stanley Kubrik também gostou tanto de Despachos do Front que pôs Herr para transformar o livro de Gus Hasford no roteiro de Nascido Para Matar (1987), filme obrigatório para os fãs do grande diretor.

A Esquire, uma das seguidoras do New Journalism (estilo mais aberto a técnicas literárias), durante a década de 60, sempre teve fama de vanguardista e de reunir os melhores escritores de sua época. O texto de Herr tem uma cadência única, que vai além do simples relato de um bom observador. O leitor passa por uma experiência sinestésica, “aditivada” com drogas e adrenalina.

Mais conservador que seu colega de Nova York, José Hamilton é um dos mais celebrados repórteres brasileiros, ganhador de sete Prêmios Esso. Com uma linguagem jornalística mais convencional, o leitor tem uma rara chance de perceber, pelo ponto de vista de um brasileiro, o primeiro grande conflito com intensa participação da mídia. Mais que isso, José Hamilton pode não ter “chapado” junto com os combatentes, mas passou por uma experiência mais alucinante e intensa. Ele perdeu a perna esquerda ao pisar em uma mina caseira plantada pelos vietcongues. O episódio mudou seu status de “repórter” para o de “ferido em combate”.

Hamilton passou dias abandonado em um hospital do exército americano em Quang Tri, ao lado de vítimas da guerra. A narrativa intercala os pensamentos pessimistas do autor em seu leito do hospital com histórias de sua estadia no país asiático antes da tragédia. Tudo carregado com o sofrimento de um homem que acreditava estar à beira da morte, esquecido no meio de uma guerra a qual julgava injustificável.

Michael Herr

Cidade natal: Syracuse, NY

Idade na época: 27

Tempo no Vietnã: 2 anos

Música: Rock. Influenciou a banda The Clash

Emprego mais recente: Roteirista de Pé na Estrada, versão cinematográfica do clássico da literatura beatnik de Jack Kerouac

Trecho: “A mistura era incrível. Santos incipientes e homicidas realizados, poetas líricos inconscientes e filhos-da-puta cruéis e burros, com os cérebros embutidos em seus pescoços.” (Sobre os soldados americanos)

José Hamilton Ribeiro

Cidade natal: Santa Rosa do Viterbo, SP

Idade na época: 32

Tempo no Vietnã: 2 meses

Música: Sertaneja. Está terminando um livro sobre música caipira

Emprego mais recente: Repórter e Editor do Globo Rural

Trecho: “A bota tinha saltado inteira, levando pé, canela, barriga da perna, osso, músculo, pele – nem sei se era minha uma bota no chão, de pé, amarradinha, minando sangue.” (Sobre os instantes após a explosão da mina)