Em uma coluna: guerras púnicas

Em uma coluna: guerras púnicas

01/01/2006 00h00 Publicado em 01/01/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Como as guerras púnicas mudaram o mundo

Assim ficaram conhecidas as três guerras entre Roma e Cartago, de 264 a 146 a.C. A vitória romana em todos os episódios transformou a emergente força regional em um império internacional.

Localizada perto da atual Túnis, capital da atual Tunísia, Cartago era a maior potência naval do século 3 a.C. O império cartaginês se estendia por toda a costa norte-africana, da Líbia ao estreito de Gibraltar, incluindo também o sul da Espanha e as ilhas de Córsega e Sardenha. A única coisa que separava os dois impérios em expansão era a ilha da Sicília. O confronto era inevitável.

Primeira Guerra Púnica (de 264 a 241 a.C.)

Ocorreu apenas em território siciliano, mas três anos após o fim do confronto Roma invadiu a Córsega e a Sardenha.

Segunda Guerra Púnica (de 218 a 202 a.C.)

Liderado por Aníbal, o exército cartaginês conquistou todo o norte da Itália. Em vez de confrontar o poderoso invasor, Roma mandou seu exército para a Espanha e para Cartago. Após conquistar as duas regiões, Aníbal ficou isolado e se rendeu sem nunca haver perdido uma batalha.

Terceira Guerra Púnica (de 149 a 146 a.C.)

Cartago voltou a prosperar graças ao comércio. Receosos de uma nova revolta, os romanos declararam guerra. A cidade portuária foi aniquilada, 50 mil foram escravizados e o resto dos habitantes foi morto.