Curiosidades gastronômicas

Curiosidades gastronômicas

01/12/2007 00h00 Publicado em 01/12/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Longa vida ao café

O rei Gustavo III da Suécia adorava a ciência. Com a mesma intensidade, odiava café. No fim do século 18, tentou provar que a bebida era um veneno. E fez um teste: um preso tomaria uma botija de café todos os dias, enquanto outro beberia chá. Durante anos, a saúde de ambos foi monitorada pelo médico do monarca. O resultado, porém, teria surpreendido o rei – se ele estivesse vivo para ver: Gustavo morreu em 1792. Meses depois morreu o médico. Mais alguns anos e foi a vez do bebedor de chá. O que tomou café morreu só 12 anos depois.

Bandeira deliciosa

O croissant, aquele delicioso pão de massa folhada, tem origem austríaca. E foi criado por pura sacanagem, após a expulsão dos invasores turcos de Viena, em 1683. Os austríacos usaram a massa folhada típica da Turquia e fizeram o salgado em forma de lua crescente, símbolo da bandeira turca. A gostosura foi levada para a França com o casamento da rainha austríaca Maria Antonieta com o rei Luís XVI.

Último pedido

O padre Anchieta conta em suas cartas escritas em 1553 a dificuldade de converter os índios do planalto paulista à fé católica. O pior, segundo ele, era fazer os nativos largarem o costume de comer gente, que não era abandonado nem pelas índias mais assíduas às missas. Uma delas, em seu leito de morte, ao receber do padre a extrema-unção e o direito de fazer seu último pedido, não hesitou. Disse que queria uma mãozinha de menino tapuia. Para morrer chupando os ossinhos.