Eleições: o caminho da democracia

Nove grandes momentos das eleições no Brasil

Reportagem Antonio Neto Publicado em 01/04/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

O voto é o melhor jeito que o brasileiro tem de dizer o que pensa e escolher seus governantes. Desde a fundação da Vila de São Vicente, em 1532, até hoje, esse direito já sofreu muitas restrições, como a obrigação de ter uma renda mínima ou a proibição do voto das mulheres. Veja como tudo isso aconteceu.

1555

Até quase o fim do Império, só podem votar e ser votados os nobres, militares e comerciantes.

1821

Dom João VI dá 72 vagas para deputados brasileiros em Lisboa. Desses, 50 assumem o cargo.

1881

Os deputados passam a ser escolhidos com eleição direta. Analfabeto e mulher não votam.

1904

Lei diz que o voto não precisa ser secreto. Por medo, muitos eleitores votam em público nos governistas.

1932

A votação fica secreta e inclui as mulheres. A idade mínima, 21 anos, muda para 18 em 1934.

1955

Os candidatos faziam os títulos eleitorais. Só nesse ano o governo assume essa responsabilidade.

1963

Em seu primeiro referendo, os brasileiros rejeitam o parlamentarismo.

1989

O povo vota para presidente. Agora, analfabetos e jovens acima de 16 anos também participam.

1996

Entra em ação a urna eletrônica. A eleição de 2000 foi a primeira 100% informatizada do mundo.