Sem entender patavina

O historiador Tito Lívio está ligado à origem da expressão

Bruno Vieira Feijó Publicado em 01/03/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

A frase, que significa não entender nada, vem de Patavium, nome em latim da cidade italiana de Pádua. Lá nasceu o historiador Tito Lívio (59 a.C.-17 d.C.), cujas obras foram criticadas por alguns escritores latinos devido ao dialeto que usava, tido como provinciano. “A idéia de não entender o estilo, a patavinidade de Lívio, foi cunhada por Asínio Polião (76 a.C.-4 d.C.), gramático e político. Por extensão, assim foi chamado o modo de falar dos moradores de Patavium”, diz o professor de Filosofia Românica da Universidade Federal de Minas Gerais César Nardelli. Não é difícil entender o preconceito. Pádua era parte da Gália, território localizado entre as atuais França, Itália, Bélgica e Alemanha. Lá, por causa das diversas tribos, ocorriam variações lingüísticas – o que dificultava o entendimento da língua “patavina”.