A estátua de Zeus

Uma das Sete Maravilhas abençoa a cidade que inventou a Olimpíada

01/08/2007 00h00 Publicado em 01/08/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Em Olímpia, a cidade onde nasceram os Jogos Olímpicos, foi erguido um espetacular monumento que, mais tarde, seria considerado uma das Sete Maravilhas do mundo antigo

A estátua de Zeus começou a ser feita em 440 a.C. por ordem do governante Péricles para incrementar o recém-construído templo dedicado ao deus. Afinal, Olímpia ganhava importância entre as cidades-estados gregas graças aos jogos, e merecia um templo melhor. A tarefa foi conferida ao escultor Fídias, amigo pessoal de Péricles. “A maior parte do que se sabe sobre a estátua se deve a Pausânias, viajante que registrou dados pitorescos sobre as regiões pelas quais passava”, diz Rafael Fragata, professor de História da Universidade de São Paulo.

 

O todo-poderoso do Olimpo

Monumento recebia visita de gente de toda a Grécia

Erro de cálculo

Fídias esculpiu uma imagem da deusa Nicéia, símbolo da vitória, na mão direita de Zeus. Na esquerda, um bastão com uma águia, símbolo de poder. Só que o escultor calculou mal o tamanho do monumento, que tem 15 metros de altura. Quando ele foi montado, quase bateu no teto do templo.

Ruga na testa

Zeus era o deus mais poderoso da Grécia antiga. É provável que Fídias o tenha esculpido com a testa franzida por causa de uma lenda que dizia que, quando ele enrugava a testa, fazia tremer o Olimpo (a morada dos deuses). Com isso, os gregos queriam dizer que ele estava sempre alerta.

Pedras preciosas

Os olhos da estátua eram de turquesa, e havia outras pedras preciosas incrustadas em seu trono. A coroa de louro que ele trazia na cabeça era banhada em ouro, assim como suas sandálias e o manto. Os materiais foram levados da Ásia e da África pelo Mediterrâneo.

Nova técnica

Quando Fídias foi chamado para esculpir Zeus, acabara de criar uma técnica para fazer grandes estátuas: a base era uma moldura de ébano, depois encapada com folhas de ouro e marfim. Fídias chegou a transferir sua oficina de Atenas para Olímpia para fazer a obra, que durou cerca de oito anos.

Romaria grega

As pessoas iam de todas as partes da Grécia e de regiões vizinhas venerar Zeus. Algumas levavam presentes para o todo-poderoso do Olimpo. A oferenda mais famosa foi uma cortina de lã com tramas assírias ofertada pelo rei selêucida Antíoco IV por volta de 170 a.C.

Zeus é pai

O templo do Olimpo ficava em uma praça na planície do Peloponeso, onde aconteceu a guerra entre Esparta e Atenas. Os soldados não atacavam o templo, já que ele era sagrado para os dois lados. A parte da frente do templo era toda aberta. Assim, Zeus podia ser visto de qualquer lugar da praça. E podia assistir à guerra de camarote.