Fãs de uma cervejinha

Fãs de uma cervejinha

Flávia Pinho Publicado em 01/09/2008, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

A intelectualidade brasileira sempre teve uma relação íntima com os botecos. Conheça alguns habitués ilustres e seus lugares favoritos:

• Várias gerações, de Machado de Assis (1839-1908) a Getúlio Vargas (1882-1954), beberam no Lamas, aberto no largo do Machado, no Rio de Janeiro, em 1874.

• No bairro carioca da Lapa, o poeta Manuel Bandeira (1886-1968) e os compositores Heitor Villa-Lobos (1887-1959) e Pixinguinha (1897-1973) iam muito à Adega Flor de Coimbra.

• Os pintores Di Cavalcanti (1897-1976) e Cândido Portinari (1903-1962) e o poeta Vinicius de Moraes (1913-1980) batiam ponto no Vilarinho, no centro do Rio.

• Toda tarde, o escritor Mário de Andrade (1893-1945) dava uma passada na Cervejaria Franciscano, na rua Líbero Badaró, centro de São Paulo.