O filho é meu: Egito quer artefatos do país espalhados pelo mundo

Egito pede emprestados seus tesouros arqueológicos.

Rodrigo Cavalcante Publicado em 01/06/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

O governo egípcio pediu a importantes museus que emprestassem alguns dos mais preciosos artefatos da história do país, como a Pedra da Roseta, exposta no Museu Britânico, em Londres, e o busto de Nefertiti, hoje em Berlim. As peças foram parar lá há pelo menos um século, após serem encontradas por estrangeiros.

O pedido faz parte do desejo do país de expor essas obras – que são originalmente suas – em 2011, na abertura do Museu Egípcio, próximo às pirâmides de Gizé. Por enquanto, o pedido não teve sucesso: os alemães já disseram que não emprestam e o Museu Britânico promete estudar a questão, embora já tenha declarado que a ausência da peça “iria desapontar” seus mais de 5 milhões de visitantes anuais.