Grandes massacres

Veja algumas matanças de grandes proporções e pouco conhecidas

Mauro Tracco Publicado em 12/07/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Batalha de Changping (260 a.C. ) – 400 mil mortos

Entre 475 e 221 a.C., a China viveu o Período dos Estados em Guerra, no qual sete estados se destacaram: Qi, Chu, Yan, Han, Zhao, Wei e Qin. No final desse período, Qin contava com um poder imenso e o único estado que tinha força para enfrentá-lo era Zhao. Vinte e sete anos após o início da guerra entre os dois, acontece a sangrenta e decisiva Batalha de Changping, em 260 a.C. Após as tropas de Zhao, formada por 400 mil homens, se renderem, o general Bai Qi, de Qin, teme uma revolta e ordena a execução de todos os soldados inimigos.

Soviéticos no Afeganistão (1979-1989) – 750 mil mortos

Insurgentes mujahideen, os guerreiros santos, lutavam para depor o governo do Partido Democrático Popular (marxista) no Afeganistão, e Moscou resolve mandar suas tropas para ajudar as forças governistas. A guerra civil dura quase uma década e deixa um saldo de 750 mil civis mortos.

Segundo Genocídio Armênio (1915-1923) – 1,5 milhão de mortos

Não muito antes do famoso holocausto promovido pelos nazistas, o partido extremista CUP (Comitê de União e Progresso), que controlava o Império Otomano, promoveu uma limpeza étnica de armênios. A maior parte das atrocidades aconteceu durante a Primeira Guerra Mundial.