Guerra Fria: regurgitado

Guerra Fria: regurgitado

Fabiano Onça Publicado em 01/07/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Em 1945, nossas mentes reagiram com gravidade diante do macabro espetáculo atômico testemunhado em Hiroshima e Nagasaki. Começava ali a Guerra Fria.

Em 1962, foi a vez de nossos corações se enregelarem e baterem rápido, durante a crise dos mísseis de Cuba.

Em 1983, quando Reagan fez seu legendário discurso no Congresso americano lançando o programa Guerra nas Estrelas, a notícia caiu mal em nossos estômagos. Haveria o indigesto fantasma de um confronto nuclear acordado de seu maldormido sono de décadas?

Em 2002, estreava o filme A Soma de Todos os Medos, sobre um ataque nuclear aos EUA. Finalmente deglutido e incorporado, o pesadelo atômico passava nas TVs de todo o mundo. O pesadelo que tomou de assalto corações e mentes de toda uma geração, enfim, havia sido regurgitado.