As guerras de Kubrick

O diretor americano já abordou vários conflitos na telona, incluindo clássicos sobre a Primeira Guerra, a Guerra Fria e a do Vietnã

Beto Gomes Publicado em 01/09/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

A filmografia do diretor americano Stanley Kubrick inclui vários clássicos que exploram a temática da guerra. Até mesmo as produções que mais o consagraram têm alguma ligação com o assunto, como 2001 – Uma Odisséia no Espaço (1968) e Laranja Mecânica (1971). Mas existem outros exemplos na filmografia do diretor para quem gosta de filmes mais pragmáticos – ou não. Confira abaixo:

Nascido Para Matar (1987)

É considerado por muitos críticos o melhor filme de guerra de todos os tempos, embora a concorrência seja muito forte. É, também, um dos maiores clássicos do diretor. O assunto é a Guerra do Vietnã e seus horrores, vivenciados por um grupo de fuzileiros navais americanos, treinados por um sargento sádico e fanático.

Fear and Desire (1953)

A guerra é fictícia, travada num país desconhecido. Quatro soldados sobrevivem à queda de seu avião, mas caem atrás das linhas inimigas. A partir daí, iniciam uma longa cruzada na qual confrontarão todos os seus medos e desejos. Para produzir este filme, o jovem Kubrick gastou 33 mil dólares.

Glória Feita de Sangue (1957)

Durante a Primeira Guerra Mundial, o coronel Dax (interpretado por Kirk Douglas) envia seus soldados para uma missão suicida, fadada ao insucesso. O filme foi proibido por décadas em países como a França, por mostrar os jogos e interesses políticos que existem por trás de uma guerra.

Spartacus (1960)

Um dos grandes épicos da história do cinema, conta a epopéia de um escravo trácio (interpretado por Kirk Douglas) treinado para lutar na arena. Forte e rebelde, ele liberta e comanda outros escravos contra os romanos, cruzando os mares e cidades do Império na tentativa de chegar a sua terra natal.

Dr. Fantástico (1964)

O subtítulo dá uma idéia do que acontece na tela: “Dr. Fantástico: ou como aprendi a não me preocupar com a bomba e aprendi a amá-la”. O assunto é a Guerra Fria, levada às últimas conseqüências por um general ensandecido, que inicia o processo de guerra nuclear entre os EUA e a URSS.