História dos Estados Unidos: Das colônias às torres

História dos Estados Unidos: Das colônias às torres

Gustavo Heidrich Publicado em 01/09/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Arquivo Aventuras

Entender a maior potência do planeta é, certamente, um exercício mais árduo que criticá-la. É esse o propósito de História dos Estados Unidos (Contexto). Elaborado pelos historiadores brasileiros Leandro Karnal, Luiz Estevam Fernandes e Marcos Vinícius de Morais e pelo canadense Sam Purdy, o estudo cobre da formação das 13 colônias à explosão das torres gêmeas. Rompendo com simplificações, o livro se debruça sobre perguntas objetivas como “por que os Estados Unidos são mais ricos que nós?”

Trecho do livro

"A família das colônias em muito se assemelhava às famílias européias. Havia uma média de sete filhos por casa, com uma alta taxa de mortalidade infantil. A autoridade residia no pai (...). As mulheres tinham trabalhos dentro e fora de casa. Por suas mãos a família se vestia, comia e obtinha iluminação (...). No século 18, as mulheres das colônias dificilmente ficavam solteiras, casando-se por volta dos 24 anos – bem mais tarde que as mulheres européias do período. Já no século 19, o autor francês Alexis de Tocqueville notaria que as mulheres da América eram muito mais liberadas do que as européias."