Hitler: antes tarde do que nunca

Sete décadas depois, alemães querem cassar cidadania de Hitler

Guilherme Gorgulho Publicado em 01/05/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Líderes do Partido Social Democrata (SPD) na cidade alemã de Braunschweig, na Baixa Saxônia, estão defendendo a revogação da cidadania de Adolf Hitler como uma medida simbólica de repúdio ao ditador nazista, de origem austríaca. Em 1932, Hitler obteve nesse município um cargo na administração pública por influência de funcionários nazistas, o que lhe permitiu obter o título de cidadão alemão depois de ter renunciado à cidadania austríaca, em 1925.

O porta-voz do SPD na região, Simon Kopelke, declarou que a campanha para retirar a cidadania de Hitler “é um gesto simbólico, mas é o que Braunschweig quer”. “Quem gostaria que Hitler conseguisse a cidadania por meio de sua cidade natal?”, questionou. Além de Braun–schweig, a cidade de Bad Doberan, em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, também se engajou no protesto e tenta cancelar o título de cidadão honorário concedido ao líder nazista.