Hugo Chávez: a verdade das câmeras

Hugo Chávez: a verdade das câmeras

01/05/2006 00h00 Publicado em 01/05/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Até que ponto o que passa na televisão mostra os fatos como realmente aconteceram? Os registros da tentativa de golpe contra o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, em 2002, trazem dúvidas sobre o assunto. A população havia aderido a uma greve geral, em protesto contra o aumento da criminalidade, da pobreza e da corrupção. Logo depois de Chávez demitir gestores da companhia estatal Petróleos da Venezuela, militares anunciaram a “renúncia” do presidente. Assumiu em seu lugar o empresário Pedro Carmona, que ficou no poder por apenas 24 horas. Chávez proibiu as televisões privadas de transmitir os confrontos entre manifestantes civis e o Exército. Uma equipe de TV irlandesa, que estava no país para filmar o presidente, produziu o documentário A Revolução Não Será Televisionada. O filme gera avaliações conflitantes: alguns críticos afirmam que ele omite fatos nocivos à imagem de Chávez, enquanto outros aclamam o documentário como um retrato fiel do conturbado momento político da Venezuela.