Imigrantes espanhóis: Caminho contrário

Há 100 anos, os espanhóis é que procuravam oportunidades no Brasil

Kelly Alves Publicado em 01/05/2008, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Muitos imigrantes brasileiros vêm sendo impedidos de entrar na Espanha, e recentemente os aeroportos do Brasil começaram a barrar espanhóis em retaliação. País em rápido crescimento e com boas oportunidades de emprego, nos últimos anos a Espanha tornou-se o destino de 130 mil brasileiros – como eu, uma paulistana que chegou no fim de 2007 para fazer um curso de pós-graduação. Mas a reação ao grande volume de estrangeiros está mais severa. Tive que peregrinar até obter o visto, porque, se a burocracia no aeroporto é grande, maior ainda é a do consulado. Acontece que esse grande volume de imigrantes brasileiros é uma novidade. Por décadas, nós é que fomos a opção dos que queriam escapar da miséria.

A imigração vinda da Espanha em direção ao Brasil ocorreu entre o fim do século 19 e o início do século 20. Os espanhóis fugiam de problemas como o excesso de população e as guerras coloniais. Pela semelhança de língua e cultura, os países mais procurados eram os hispânicos, mas o Brasil era um destino atraente pelos benefícios que oferecia. A Lei 673, de 1899, garantia viagem gratuita, transporte e alojamento na Hospedaria dos Imigrantes. Os primeiros espanhóis se instalaram em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia. Vinham atraídos pelas plantações de café, que precisavam de mão-de-obra depois do fim da escravidão. Até o fim do século 19, os imigrantes eram andaluzes e galegos. No século 20, começaram a vir catalães, bascos e valencianos. As coisas mudaram com a crise de superprodução do café e da quebra da Bolsa de Valores de Nova York, em 1929. Quando o fluxo de imigrantes diminuiu, quase 600 mil espanhóis já tinham se instalado no Brasil.

Migração em massa

As nacionalidades que mais vieram para cá de 1880 a 1930

Italianos - 1 401 335

Portugueses - 1 145 737

Espanhóis - 587 114

Alemães - 154 397

Japoneses - 142 457