Império, Vida Rural no Brasil, Gigantes no Coração, Guerra do Peloponeso

Império, Vida Rural no Brasil, Gigantes no Coração, Guerra do Peloponeso

01/10/2006 00h00 Publicado em 01/10/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Voz alternativa

Em entrevistas ao jornalista David Barsamian entre 2002 e 2004, Tariq Ali, historiador paquistanês da Universidade de Oxford, na Inglaterra, dá uma visão dos muçulmanos seculares sobre temas polêmicos, como a ocupação israelense na Palestina. A Nova Face do Império (Ediouro) é uma leitura alternativa (como é importante ouvir a voz do dissenso!) para acompanhar os atuais (e nem tão novos) conflitos no Oriente Médio.

Celso Miranda

Passeio no campo

Dá quase para sentir o cheiro da terra lavrada ao caminhar pelas páginas de Uma História da Vida Rural no Brasil (Ediouro), dos historiadores Mary Del Priore e Renato Venâncio. Eles esclarecem aspectos da vida no campo, do cultivo de subsistência pelos índios e caboclos no Brasil colonial até o cenário atual de conflitos dos sem-terra em contraposição à eficiência do agronegócio, além da trajetória de profissões como tropeiros e vaqueiros.

Ernani Fagundes

Josef Mengele e os sete anões

Na Romênia do começo do século 20, uma família judia formada por sete anões ganhava a vida fazendo shows de música. Na Segunda Guerra, eles foram parar num campo de concentração. Lá, passaram uma série de horrores nas mãos do médico Josef Mengele. Em Gigantes no Coração (Relume Dumará), os jornalistas Yehuda Koren e Eilat Negev contam a história da Trupe Lilliput – e como todos sobreviveram ao holocausto.

Cláudia de Castro Lima

A primeira grande guerra

Quando, em 431 a.C., Esparta declarou guerra a Atenas, seu rei Arquidamo advertiu os espartanos incrédulos de que eles legariam o conflito a seus filhos. Estava certo. Em A Guerra do Peloponeso (Record), Donald Kagan descreve como se passaram os 27 anos de peleja entre as cidades. O autor mistura relatos clássicos à visão histórica moderna para formar uma bem-acabada e abrangente narrativa dessa implacável contenda.

Bruno Tripode Bartaquini