Índios: Paladar diferente

Os índios detestaram a comida portuguesa

Flávia Pinho Publicado em 01/05/2008, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Ao chegar ao Brasil, em 1500, os portugueses da frota de Pedro Álvares Cabral tentaram conquistar os índios pelo estômago. Dois dias depois de chegar, eles convidaram dois tupiniquins a subir a bordo. Segundo o escrivão Pero Vaz de Caminha narrou em carta ao rei dom Manuel, “foram recebidos com muito prazer e festa”. A intenção era das melhores. A tripulação tratou de oferecer o que havia de mais sofisticado na despensa das embarcações. Mas o resultado foi desastroso: os índios nem ligaram para o carneiro, tiveram medo das galinhas e odiaram tudo o que comeram. Confira o desfecho desse incidente diplomático nas palavras do próprio Caminha: “Deram-lhe ali de comer: pão e peixe cozido, confeitos, fartéis [doces], mel e figos passados. Não quiseram comer quase nada; e, se alguma coisa provaram, logo a lançavam fora. Trouxeram-lhe vinho numa taça; mal lhe puseram a boca; não gostaram de nada, nem quiseram mais. Trouxeram-lhe a água em uma albarrada. Não beberam. Mal a tomaram na boca, que lavaram e logo a lançaram fora.”