Irmãos Wright: eles foram os primeiros

A polêmica com Santos Dumont não faz sentido. Os irmãos Wright voaram três anos antes do brasileiro

Patrícia Pereira Publicado em 01/09/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Sim, foram os irmãos Wright os primeiros a voar. O desafio era fazer um vôo prolongado, motorizado, com controle de direção, em uma máquina mais pesada do que o ar, e isso eles conseguiram em 17 de dezembro de 1903, em Kitty Hawk, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, em um avião batizado como Flyer (Voador). Quando Santos Dumont pôs no ar o seu 14 Bis, em 23 de outubro de 1906, e percorreu 60 metros, os irmãos Wilbur e Orville Wright já haviam feito vôos controlados de 39 quilômetros. O feito dos irmãos americanos não teve o reconhecimento público imediato porque não foi presenciado por muitas testemunhas, apenas por alguns salva-vidas e um agente dos Correios. “Hoje em dia, eles só são contestados de forma séria no Brasil”, diz o jornalista Salvador Nogueira, autor de Conexão Wright-Santos Dumont: A Verdadeira História da Invenção do Avião.

Evidências indiscutíveis, como fotografias dos vôos, correspondências trocadas pelos irmãos e anotações técnicas detalhadas, consagraram-nos no mundo como os primeiros a voar. Com um porém: o avião dos irmãos Wright não decolava por meios próprios. Como não tinha rodas, nos primeiros testes, em 1903, era preciso usar um trilho para ganhar velocidade e contar com a ajuda do vento contrário para se erguer no ar. Mais tarde, em 1904, os irmãos acoplaram ao trilho uma catapulta, o que encurtou a extensão do trajeto a ser percorrido e diminuiu a dependência do vento. Apostavam que as rodas eram um peso desnecessário e que usar um trilho era mais prático do que encontrar um longo campo plano para decolar.

Bicicleta inspiradora

O primeiro a pensar em construir um avião, na década de 1890, foi Wilbur. Na época, ele e Orville possuíam uma loja de bicicletas. Wilbur passava horas observando o vôo de falcões, até que percebeu que, para ter total controle da inclinação, a ave elevava uma das asas e abaixava a outra. Os irmãos chegaram à conclusão de que o maior desafio seria controlar o avião no ar com a mesma presteza. Foi em 1899, ao atender uma cliente da loja de bicicletas, que Wilbur, ao torcer uma caixa de tubo, percebeu como conseguiria o controle lateral em planadores. Ele tinha acabado de inventar o sistema de torção de asa, que, junto com os lemes, garantiria o controle dos vôos. Os primeiros testes foram realizados em 1900, com planadores. Os irmãos escolheram a pequena cidade de Kitty Hawk, na Carolina do Norte, por causa dos ventos constantes e do solo arenoso, que tornava o pouso mais suave. Conseguiram chegar a um modelo que voava por pouco tempo, mas tinha bom controle de direção. O piloto ficava deitado no centro, com um leme horizontal à frente para controlar a ascensão no ar e um mecanismo que provocava a torção de asas. Em 1903, depois de mais de 700 vôos planados, os irmãos testaram um aparelho com um motor de 12 cavalos construído por eles próprios. E voaram.

O primeiro vôo com sucesso foi pilotado por Orville. Durou 12 segundos e percorreu 36 metros. No mesmo dia, os dois fizeram, em revezamento, outros três vôos bem-sucedidos. O mais longo deles, com Wilbur no comando, durou 59 segundos e percorreu 260 metros. Até 1905, eles fizeram diversos aperfeiçoamentos no Flyer, até alcançarem um avião prático, com controle e sustentação. Tudo em sigilo, porque os irmãos pensavam em garantir a patente, o que ocorreu em 1906. Apenas em agosto de 1908, eles realizaram a primeira exibição pública na Europa. Estavam em Paris e assombraram a platéia com o completo controle do Flyer, que fez curvas de 90º dando duas voltas sobre uma pista de corrida e pousou no mesmo ponto em que subiu. No final de 1909, os dois fundaram a Wright Company e começaram a comercializar seus aparelhos. Em 2003, no centenário do feito dos irmãos Wright, um consórcio de empresas e instituições nos EUA tentou reproduzir o primeiro vôo do Flyer, com uma réplica exata do avião. Sequer conseguiram sair do solo. A réplica era fiel, mas faltaram os ventos fortes que ajudaram os Wright a decolar em 1903. ::

 

Para saber mais

Livro

Conexão Wright-Santos Dumont: A Verdadeira História da Invenção do Avião, Salvador Nogueira, Record, 2006

Em formato de romance, narra a história dos precursores da aviação e das primeiras tentativas de vôo.