Júlio César x Vercingétorix

Em 52 a.C., um cerco brutal à fortaleza de Alésia forçou a rendição do gaulês de 20 anos que ousara desafiar o império romano

Douglas Prieto Portari Publicado em 01/05/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

No topo de uma colina, a cidadela de Alésia era um refúgio seguro. Nela, 180 mil pessoas – sendo 80 mil guerreiros gauleses – não tiveram dificuldade em manter os inimigos romanos do lado de fora. Mas se as legiões de Roma não podiam entrar, também não deixavam ninguém sair. Era setembro de 52 a.C. e o cerco ordenado pelo general Júlio César entrava em sua quarta semana, o bastante para transformar Alésia em um inferno. Do lado de dentro dos muros, a fome e a sede faziam muitos apelar para a antropofagia.

Mas o futuro dessas pessoas e de toda a Gália (região que abrange hoje França, Suíça e Bélgica) não estava nas mãos de César, que estrangulava Alésia, e sim nas do único líder que conseguira unir as tribos gaulesas e impor uma derrota ao inimigo, Vercingétorix (em gaulês, chefe de grandes guerreiros). Em março daquele ano, o exército de Roma havia sido rechaçado de Gergóvia, cidade natal de Vercingétorix. Com apenas 20 anos, o jovem gaulês do clã arverno tinha surpreendido o general romano.

Foi a primeira vez que César, então com 52 anos, sofreu um revés desde que se tornara procônsul da Gália, em 59 a.C. A falta de unidade dos gauleses, divididos em clãs e tendo como único elo a crença nos deuses celtas e em seus sacerdotes druidas, facilitou a imposição do jugo romano. Mas, no fim de 53 a.C., insurgentes voltaram a aparecer. Vercingétorix conclamou os gauleses à união, culminando na vitória em Gergóvia. As legiões de Roma, porém, reabilitaram-se e batalha após batalha obrigaram Vercingétorix a recuar até Alésia.

Ali, César impôs o cerco. De seus 70 mil homens, 50 mil foram postos para cavar fossos, trincheiras e armadilhas, além de erguer paliçadas e torres ao redor de toda a fortaleza, quilômetros de extensão. As tentativas dos gauleses de destruir o cerco foram inúteis. Mas César sabia que outros clãs viriam em socorro de Vercingétorix e ordenou uma nova linha de valas e muros, dessa vez voltadas para fora de sua posição. Como esperado, na quarta semana de cerco, entre 130 mil a 250 mil gauleses atacaram os romanos pela retaguarda.

Vercingétorix fez ataques simultâneos e as legiões de César se viram entre duas forças maiores. Calcula-se que eram seis oponentes para cada romano. As valas, os muros e as armadilhas, porém, mostraram-se eficientes. No segundo dia de ataque dos gauleses, César destruiu com sua cavalaria a força de apoio que atacava sua retaguarda. Vercingétorix reconheceu a derrota e decidiu entregar-se para poupar a vida dos demais. Sua atitude virou lenda.

O jovem líder vestiu sua armadura, paramentou seu cavalo e atravessou os portões de Alésia. Todos abriram caminho. Ele cavalgou até onde César estava, fez uma volta ao redor do romano, desmontou e atirou a seus pés as armas, ajoelhando-se. Era o fim do sonho de uma Gália unificada sob um soberano celta. Mas, inteligentemente, César não mandou matar Vercingétorix ali para evitar transformá-lo em mártir. Ordenou que ele fosse enviado para Roma.

Ainda que rebeliões isoladas durassem mais um ano, as guerras gálicas terminaram na Batalha de Alésia. Vercingétorix encontraria seu fim nos porões sujos de Roma, em 46 a.C. César, por sua vez, teria um futuro de conquistas, mas seria traído e assassinado em 44 a.C., até por aqueles que lutaram sob seu comando na Gália.

 

Para saber mais

Livro

The Gallic War (De Bello Gallico), Júlio César (trad. de H. J. Edwards), Kessinger Publishing, 2007 (em inglês) A Guerra Gálica narrada por um de seus protagonistas.

 

 

Caio Júlio César

Quem foi: Filho de aristocratas, foi soldado, advogado, orador, general e ditador

Nascimento: 100 a.C.

Morte: 44 a.C.

Idade durante a Batalha de Alésia: 52 anos

Contingente sob seu comando: 70 mil romanos

Após as Guerras Gálicas: Voltaria para Roma dois anos depois e atravessaria o Rubicão, rio que demarcava os domínios da cidade. Ele se tornaria ditador e seria assassinado em 44 a.C. por senadores, alguns deles, como Brutus e Marco Antônio, seus comandados durante as guerras da Gália.

Vercingétorix

Quem foi: Filho de nobres, foi líder clânico e uniu as tribos gaulesas

Nascimento: 72 a.C.

Morte: 46 a.C.

Idade durante a Batalha de Alésia: 20 anos

Contingente sob seu comando: 80 mil homens (outros 130 mil a 250 mil vieram em seu auxílio durante o cerco)

Após as Guerras Gálicas: Para não transformá-lo em mártir, César não o executou. Ordenou que fosse levado para Roma, onde ficou encarcerado por seis anos. Não se sabe se foi decapitado ou morto na prisão. Séculos depois seria reconhecido como o primeiro herói francês.