Jurar de pés juntos

Amarrar pés dos hereges era tortura comum na Inquisição

Bruno Vieira Feijó Publicado em 01/07/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

A expressão, usada para enfatizar a veracidade de algo, teve origem em um ato que era um tipo de tortura executada pelos tribunais da Santa Inquisição, na Europa. Alguns suspeitos de heresias contra a Igreja tinham suas mãos e pés amarrados – ou mesmo pregados em postes de madeira – ou eram suspensos no teto pelos pés. O objetivo era arrancar confissões de qualquer categoria.

Na posição em que estavam, os suspeitos prometiam rapidamente, claro, dizer nada além da verdade. Em Portugal é comum falar “jurar a pés juntos” e “negar a pés juntos”. Na Espanha, a expressão é usada no sentido de acreditar cegamente em algo (“crer com os pés juntos”).