Katyusha: grito de fogo

Versátil e flexível, o lançador de foguetes estreou na Segunda Guerra e continua em ação nos campos de batalha

Danilo Cezar Cabral Publicado em 01/11/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Utilizado intensamente pelas forças soviéticas durante a Segunda Guerra Mundial, o lançador de foguetes Katyusha tinha o poder de paralisar os inimigos com seu grito de guerra – um barulho infernal produzido pelos foguetes no momento do disparo. Foi um dos primeiros lançadores múltiplos de foguetes montados em carro, característica que lhe confere grande mobilidade. Depois de um ataque, ele pode mudar rapidamente de posição, dificultando o contra-ataque do inimigo. Embora não se destaque pela precisão, é muito eficiente em bombardeios de saturação, despejando uma quantidade devastadora de explosivos na área-alvo. A facilidade de produção e o custo relativamente baixo fizeram com que o Katyusha fosse adotado em vários conflitos ao redor do mundo, como na Coréia e na Chechênia. Mais recentemente, passou a ser empregado pelo grupo Hezbollah em ataques contra Israel. Entre as várias versões fabricadas, a mais comum mundialmente é a BM-21, que entrou em serviço em 1963 e continua sendo usada até hoje.

Lançadores

Quarenta tubos de lançamento em formato retangular. A maioria dos primeiros lançadores era composta de suportes com trilhos paralelos onde se encaixavam os foguetes.

Foguetes

122 mm, com 2,87 metros de comprimento. Todos os foguetes podem ser lançados de uma só vez em pouco menos de 20 segundos. São disparados individualmente ou em pequenos grupos de forma intermitente.

Miras

Telescópica panorâmica PG-1M, com colimador K. Cobrem uma área com um raio máximo de 20 quilômetros.

Equipe

Cinco homens preparam o sistema para disparo em três minutos e alinham o lançador fora do ângulo da cabine do caminhão. Podem efetuar o disparo de dentro da cabine. A recarga é feita manualmente e leva cerca de 10 minutos.

Plataforma

Caminhão (8x8) Tatra T813. Durante a Segunda Guerra, o Exército Vermelho usou diversos tipos de plataformas, como tanques, tratores de artilharia, trens blindados e embarcações.

 

Ficha técnica

RM-70/85, não blindada versão modernizada do BM 21 fabricada pela República Tcheca

Peso:24 toneladas

Comprimento: 8,75 metros

Largura: 2,5 metros

Altura: 2,7 metros

Velocidade: 85 km/h (em estrada) 35 km/h (off-road)

Equipe: 6

Autonomia: 400 km

Calibre:122 mm (4,8 polegadas)

Tubos: 40 (4 fileiras de 10 tubos)

Cadência de disparo: 40 disparos em 20 segundos (salva completa)

Tipo de recarga: Manual

Mira: Telescópica Panorâmica PG-1M

Armamento Secundário: 1 metralhadora universal modelo 59

Munições: explosivo de fragmentação, química incendiária e outras