Laser de ultraprecisão da Boeing: boa pontaria

Empresa avança nos testes militares

Guilherme Gorgulho Publicado em 01/08/2008, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

A Boeing anunciou ter cumprido uma etapa importante nos testes com um laser de ultraprecisão que está desenvolvendo a pedido do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, com o objetivo de destruir alvos em terra a partir de aviões. Pela primeira vez, o Advanced Tactical Laser (ATL), ou laser tático avançado (em tradução livre), foi disparado a partir de uma aeronave de carga C-130H em uma demonstração no solo na base da Força Aérea de Kirtland, em Albuquerque, no Estado do Novo México.

Depois de conduzir uma série de testes adicionais em terra e no ar, a Boeing informou que o programa prevê o disparo do laser químico de iodo/oxigênio (Coil, na sigla em inglês) durante vôos em alvos no solo, típicos de missões de combate. A equipe responsável pela demonstração vai promover os disparos a partir de uma torre de tiro rotativa que se projeta na parte inferior do avião.

O ATL está sendo criado para destruir, danificar ou neutralizar alvos com pouco ou nenhum dano colateral, em função do alto grau de precisão da propagação do feixe do laser químico. A proposta é que o revolucionário sistema seja empregado em ações em campo de batalha ou mesmo em operações urbanas, contra milícias ou grupos hostis em áreas de conflito.