Linha do tempo: Uma era de ouro

Povos antigos inventaram nosso estilo de vida

Álvaro Oppermann Publicado em 17/06/2009, às 07h12 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Um bocado de coisas do nosso cotidiano teve origem na Antiguidade. Pense na democracia, que nasceu na Grécia. Ou no Direito, desenvolvido ao longo da história do Império  Romano. E ainda na escravidão, uma cortesia dos babilônicos. Para o bem e para o mal, a civilização contemporânea é filhote do mundo antigo. Vêm de lá diversos hábitos atuais, de ir ao médico a usar calculadora. Até mesmo o pão é dessa época - ele surgiu no Egito,
em cerca de 3500 a.C.

O comércio internacional entrou no mapa graças aos gregos, importantes exportadores de vinho e óleo de oliva. E os concursos públicos já existiam em Atenas (eram realizados para cargos no Fisco). Muito antes de Wall Street, os romanos negociavam títulos e ações. Eles tinham até mesmo ponto de encontro, um precursor do moderno pregão das bolsas de  valores. No século 3, Roma teve seu momento de pânico financeiro, marcado por uma grave recessão. Alguma dúvida de que a história da Antiguidade é muito parecida com a nossa?

A ANTIGUIDADE
Nessa fase criamos a medicina, a democracia e os exércitos

3800 a.C. - CATIVEIRO
Mais ou menos enquanto inventávamos a escrita e a roda, também criamos uma instituição que atravessou os séculos: a escravidão. Na Babilônia, o Código de Hamurábi é o primeiro documento a estabelecer diferenças no tratamento entre as pessoas livres e os escravos.

2600 a.C. - OBRAS FARAÔNICAS
Grandes construções são uma marca registrada da Antiguidade. E nisso ninguém supera os egípcios. Com 146 metros do chão ao topo, a Grande Pirâmide de Gizé seria a obra mais alta do mundo por mais de 4 mil anos, até a inauguração da Torre Eiffel, em Paris, em 1889.

2500 a.C. - GERAÇÃO SAÚDE
Os registros mais antigos da medicina vêm do vale do Indo, na Índia, em 3300 a.C. Depois surgem os chineses. Mas os egípcios levam a prática a novos níveis. A primeira cirurgia é realizada em 2750 a.C. Também é do Egito o primeiro médico conhecido. Chama-se Imhotep e vive em 2500 a.C.2400 a.C. - O PRIMEIRO LIVRO
Também são os egípcios que revolucionam a leitura. É com eles que as tábuas da Pré-História ganham um upgrade com a invenção do papiro, feito de tiras das folhas de uma erva do Nilo. Unidos, grandes feixes desse material dão origem aos livros.

2300 a.C. - CALCULADORA
Os gregos antigos são gênios da matemática, mas não só eles. Os pais da matéria são os sumérios. Nessa época, eles desenvolvem o ábaco, usado para orçar a construção de canais nos rios Tigres e Eufrates. Ou seja: com essa calculadora, nascem também os contadores.

1400 a.C. - REIS DO MAR
Quando o assunto é navegação, até o ano 1000 a.C., ninguém supera os fenícios. Eles são exímios armadores, até por necessidade. Como lidam com especiarias finas (e caras), precisam dominar as rotas
marítimas mais seguras.

700 a.C. - FALANGE, ATACAR!
A guerra era um negócio tosco, no corpo-a-corpo. Até que os gregos revolucionam a formação dos exércitos com a criação da falange, o grupo de infantaria sincronizado em bloco. O soldado, chamado de hoplita, porta escudo, capacete, espada e lança. O método privilegia o ataque rápido e frontal.

508 a.C. - O POVO GOVERNA
O legislador Clístenes faz uma reforma política em Atenas. Ele divide a cidade em distritos, ou "demos", nos quais a população vota em seus representantes. É o começo da democracia, que seria desenvolvida por Péricles. O detalhe é que só homens adultos participam.

500 a.C. - ARTE DE PONTA
O desenvolvimento artístico dos gregos impressiona o mundo. Em suas mãos, as esculturas, inspiradas na mitologia, ganham refinamento e naturalismo tão grandes que, 2 mil anos depois, ainda influenciariam os maiores mestres da Renascença.

312 a.C. - CONSTRUÇÕES
Os romanos são grandes engenheiros. Depois de criar o primeiro sistema de esgoto da História, desenvolvem um sistema de abastecimento de água à base de aquedutos. Roma é servida por 11 deles, o maior com 90
quilômetros de extensão

476 d.C - COLAPSO
Roma sofre com as invasões bárbaras. Em 410, o visigodo Alarico (395-415) saqueia a cidade e encontra pouca resistência. É o começo do fim da Antiguidade. Em 476, essa era acaba quando o germânico Odoacro (434-493) depõe o último imperador romano, Rômulo Augusto (459-476).