LISTA - 5 NEGROS QUE ACENDERAM A PIRA OLÍMPICA

Orgulho no símbolo máximo das olimpíadas

Willy Delvalle Publicado em 18/08/2016, às 09h28 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

O americano Rafer Johnson foi o primeiro atleta negro a acender a pira, nas Olimpíadas de 1984, em Los Angeles
O americano Rafer Johnson foi o primeiro atleta negro a acender a pira, nas Olimpíadas de 1984, em Los Angeles - Getty Images
A pira olímpica é um dos símbolos do maior evento esportivo mundial, e acendê-la é nobre responsabilidade e orgulho. A origem dessa tradição está nas Olimpíadas de Berlim, em 1936, num ritual encomendado por Hitler para glorificar seu projeto de raça ariana e o ideal grego. Desde então, é o ato derradeiro de uma viagem percorrida pelo revezamento da tocha olímpica, que se inicia em Olímpia, cidade grega onde eram realizados os Jogos antigos, até a cidade-sede. Quem acende a pira é um grande atleta do país organizador, e então o evento é oficialmente aberto. Na história dos Jogos modernos, cinco negros foram escolhidos para esse momento.

Rafer Johnson
Primeiro negro da História a acender a pira olímpica, nos Jogos de 1984, em Los Angeles. Venceu em Roma, em 1960, no decatlo, quebrando um recorde. É considerado o melhor do mundo na modalidade. 

Muhammad Ali
Aos 54 anos, uma das maiores lendas do boxe e do esporte mundial acendeu a pira em Atlanta, em 1996. Com dificuldades motoras decorrentes do mal de Parkinson, demorou a finalizar o ato e foi aplaudido de pé. 

Cathy Freeman
Única atleta aborígene a acender a pira e obter ouro na mesma Olimpíada, no ano de 2000, em Sydney. Sua vitória foi na prova dos 400 metros, a centésima medalha olímpica australiana. Tendo vencido campeonatos mundiais em 1997 e 1999, além de ter sido prata em Atlanta (1996), já era favorita na Austrália para vencer uma das provas do atletismo nas Olimpíadas em casa.

Desiree Henry e Adelle Tracey 
Campeãs nacionais e internacionais, estavam entre os sete atletas iniciantes indicados por veteranos para acender a pira em Londres, em 2012. Desiree, na época com 17 anos, foi indicada pelo decatleta Daley Thompson, ouro em Moscou e Los Angeles. Adelle Tracey, então com 19 anos, foi indicada por Kelly Holmes, duas vezes ouro em Atenas (2004), nos 800 e 1500 m do atletismo.

VOCÊ SABIA QUE...
…nunca um negro declarou aberta uma Olimpíada?
São chefes de Estado que o fazem, cargo até hoje nunca ocupado por um negro nos países que realizaram os Jogos.

…de 23 atletas escolhidos para fazer o juramento, dois são negros? 
O ato solene, palavras em defesa dos valores olímpicos, começou nos Jogos de Antuérpia, em 1920, sempre realizado por um atleta de prestígio do país-sede.


O JURAMENTO
Edwin Moses 
Americano, fez o juramento em 1984, em Los Angeles. É considerado o maior corredor com barreiras nos 400 metros da História. Sua primeira competição internacional foi nos Jogos Olímpicos de Montreal, em 1976, onde obteve ouro, assim como em Los Angeles, em 1984. Nas Olimpíadas seguintes, em Seul, ganhou o bronze. 

Teresa Edwards 
A americana jurou em Atlanta, nos Jogos de 1996, onde a equipe de basquete que integrava faria a terceira participação e levaria o terceiro ouro. Foi campeã em Sydney (2000). Em 2010, entrou para o Hall da Fama do Basquete Feminino.