Machu Picchu, Última Hora e estátuas gregas

Machu Picchu, Última Hora e estátuas gregas

01/11/2007 00h00 Publicado em 01/11/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

De volta para casa

Parece que a briga entre o governo peruano e a Universidade de Yale, nos Estados Unidos, ganhou uma trégua. A instituição americana concordou que sua coleção de artefatos retirados de Machu Picchu e Cuzco quase um século atrás (em uma missão de exploração) são realmente propriedade do Peru. A maior parte desse acervo deverá ser devolvida ao país de origem. A universidade e o Peru já brigavam judicialmente há anos. As peças deverão ser as estrelas de uma exposição financiada pelos antigos rivais que rodará o mundo em 2008.

Jornal online

Em comemoração aos 200 anos da imprensa brasileira – que chegou ao país com as naus da família real, saída de Portugal em 1808 –, o jornal Última Hora, que circulou de 1951 a 1971, terá seu arquivo todo digitalizado. Fundada pelo jornalista Samuel Wainer, a publicação era inovadora (foi ela que popularizou o uso de cores, fotos e ilustrações, por exemplo) e contou com colunistas como Nélson Rodrigues e Rubem Braga. A digitalização, uma parceria formada entre a empresa AMD e o Arquivo Público do Estado de São Paulo, pode ser conferida pelo site www.arquivoestado.sp.gov.br/uhdigital

Clássico em cores

Quando pensamos em uma estátua grega, nos vem à mente uma escultura de mármore claro, certo? Pois pensamos errado. Não só nós, mas também os artistas renascentistas, que usavam as obras clássicas como padrão estético a ser seguido. Uma pesquisa alemã mostra que a escultura e a arquitetura da Antiguidade eram pintadas. Acontece que tudo foi perdendo as cores com o passar dos anos. O resultado do estudo está em uma exposição na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, Gods in Color: Painted Sculpture of Classical Antiquity (“Deuses em cores: esculturas pintadas da Antiguidade clássica”).