Múmias no mosteiro, a morte de Mirandola e Malverde

Múmias no mosteiro, a morte de Mirandola e Malverde

01/04/2008 00h00 Publicado em 01/04/2008, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Elementar!

Pesquisadores italianos solucionaram um mistério de 500 anos: a causa da morte de Giovanni Pico della Mirandola (1463-1494). Além de um dos filósofos mais importantes do começo do Renascimento, Mirandola foi uma celebridade em sua época, desde que publicou 900 teses que explicariam todo o conhecimento humano. Mirandola morreu em Florença, acometido por uma febre misteriosa. Cientistas de três universidades exumaram seu corpo e concluíram que ele foi envenenado com arsênico.

Múmias misteriosas

Uma simples operação para eliminar cupins acabou proporcionando uma descoberta arqueológica em São Paulo. A parede de uma sala do Mosteiro da Luz, no centro da cidade, guardava os corpos mumificados de três mulheres, possivelmente freiras. Elas estavam emparedadas havia aproximadamente 200 anos e, apesar de terem passado esse tempo todo no meio de terra e de cal, permaneceram bem conservadas. A sala, que funcionou como cemitério de 1774 até 1822, ainda tem pelo menos outros dois corpos enterrados.

Narco-santo

A última moda mexicana a entrar nos Estados Unidos é São Jesus Malverde, o padroeiro dos traficantes. Malverde, um fora-da-lei temido em sua época, morreu em 1909, durante um tiroteio com a polícia no México. Desde então, passou a ser idolatrado no país, apesar de o Vaticano nunca ter reconhecido sua santidade. Agora, em lojas de Los Angeles, é possível comprar souvernirs do padroeiro. Existe até uma marca de cerveja Malverde e um cantor de rap que adotou o nome do santo.