Notas musicais: quem inventou o nome?

Notas musicais: quem inventou o nome?

Celso Miranda Publicado em 01/10/2005, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Quem inventou os nomes das notas musicais?

Sylvya Schanderd,

São Paulo - SP

Foi o monge beneditino Guido de Arezzo, que viveu aproximadamente entre os anos de 995 e 1050, quem inventou a denominação das notas musicais que se consagrou a partir do século 12 – e, por conta disso, ele é considerado o pai da música.

Padre Arezzo, além de músico, foi também um pesquisador, dedicando-se a registrar e padronizar os escritos musicais para que eles pudessem ser guardados e reproduzidos. Para criar os nomes das notas, ele tomou a primeira sílaba de cada verso de um hino de louvor a são João Batista: “Ut queant laxis / Resonare fibris /Mira gestorum / Famuli tuorum / Solve polluti / Labii reatum / Sancte Iohannes”. A tradução é algo como: “Para que teus servos/ Possam, das entranhas/ Flautas ressoar/ Teus feitos admiráveis /Absolve o pecado / Desses lábios impuros/ Ó são João”.

No século 17, houve a troca de “ut”, por “dó”, provavelmente por conta da dificuldade de pronúncia do primeiro. O “si” nasceu da abreviação de “sancte Iohannes”, ou são João em português.