O primeiro cri-cri: a crítica gastronômica

Advogado francês inventou a crítica gastronômica

Flávia Pinho Publicado em 01/06/2008, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Poucas profissões são tão invejadas e odiadas quanto a de crítico gastronômico. A invenção cabe ao francês Grimod de la Reynière (1758-1858). Ao publicar o Almanach des Gourmands, em 1803, o advogado não só apresentou a Paris o primeiro guia de restaurantes como lançou a moda de analisar pratos e serviço. Com humor ácido e língua afiada, passou a exaltar o talento de determinados cozinheiros e a destruir a imagem de outros tantos. O sucesso foi retumbante. Edições anuais se repetiram, gerando muito tititi na cidade. Reynière, é claro, também foi bastante criticado. De acordo com a historiadora inglesa Rebecca L. Spang, autora de A Invenção do Restaurante, era sistematicamente chamado de glutão, vulgar e incentivador de vícios. O que o tornou ainda mais famoso.