Salvem as baleias do exercício militar

Mamíferos mudam a rotina de exercícios militares

Guilherme Gorgulho Publicado em 01/07/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

O aparecimento de baleias na área onde se realiza um exercício militar conjunto com cerca de 27 mil membros de tropas australianas e americanas na baía de Shoalwater, em Queensland, e no Território do Norte pode afetar o treinamento promovido a cada dois anos em razão dos efeitos nos mamíferos aquáticos. Cientes dos danos que as freqüências dos radares podem ocasionar em baleias e golfinhos, as duas Forças Armadas decidiram desligar as transmissões dos sonares se qualquer dos animais for avistado.

A Comissão Internacional de Caça à Baleia alertou os responsáveis pelo exercício, conhecido como Talisman Sabre, sobre a ocorrência de mortes ou ferimentos nos animais, que podem ter sua audição reduzida e encalhar em praias.

O ministro do Meio Ambiente da Austrália, Malcolm Turnbull, declarou que as forças evitam áreas freqüentadas pelas baleias e interrompem transmissões se os animais aparecem num raio de 3,5 quilômetros. “Precauções similares foram adotadas durante o exercício de 2005. Não há evidências de que os animais tenham sofrido impacto negativo.”