São Pedro & São Paulo

Os apóstolos dedicaram a vida a pregar os ensinamentos de Cristo e morreram executados como Ele

01/03/2007 00h00 Publicado em 01/03/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Arquivo Aventuras

São Pedro

Junho 29

Nascimento: No século 1 a.C, em Betsaida, na Galiléia

Morte: No ano 67, em Roma

São Paulo

Junho 29

Nascimento: No ano 10, em Tarso, na Cilícia

Morte: No ano 67, em Roma, Itália

Pedro não era parente de Paulo. Os dois tinham em comum a devoção a Cristo e a disposição de peregrinar para levar sua palavra. A crença popular acredita que eles foram executados no mesmo dia e ano. Por isso, as homenagens a São Pedro, Príncipe dos Apóstolos e Vigário de Jesus Cristo, e São Paulo, o Apóstolo dos Gentios, acontecem juntas, no dia 29 de junho.

Simão, nome verdadeiro de Pedro, ganhava a vida como pescador e tinha uma pequena frota de barcos pesqueiros em Betsaida. Certo dia, seu irmão e sócio André foi ao rio Jordão, onde João Batista batizava as pessoas. Lá viu o messias e avisou ao irmão. Simão quis saber quem era o homem que se dizia Cristo. Quando chegaram diante de Jesus, ouviram: “Sigam-me e eu farei de vocês pescadores de homens”. Após o chamado, deu a Simão um novo nome: “Você é Simão, o filho de Jonas. Você vai se chamar Cefas (que em aramaico significa “pedra” e, na forma espanhola, mudou para Pedro)”. A partir daí, os dois nunca mais se separaram.

O apóstolo foi escolhido por Jesus para ser seu sucessor como líder. “Você é Pedro e sobre essa pedra construirei a minha Igreja e o poder da morte nunca poderá vencê-la.” Mesmo assim, ele ainda teve momentos de fraqueza. Quando Jesus foi traído e preso, o apóstolo tentou reagir cortando a orelha de um soldado com uma espada e foi reeprendido pelo messias. Depois, negou conhecer Cristo por três vezes com medo de ser igualmente condenado. Mas foi perdoado pelo mestre quando declarou seu amor a ele após a ressurreição.

O apóstolo virou o primeiro papa da Igreja Católica. Mas foi perseguido pelo Império Romano, encarcerado e crucificado, só que de cabeça para baixo, por não se achar digno de morrer como Jesus.

Assim como Pedro, Paulo também tinha outro nome: chamava-se Saulo. De família judaica da tribo de Benjamin, mas ao mesmo tempo cidadão romano, passou sua infância em Jerusalém seguindo as doutrinas dos fariseus. Perseguidor dos cristãos, o soldado esteve presente na morte a pedradas de Santo Estêvão. Ele teve essa vida até ter uma visão com Jesus Cristo.

Certa vez, Saulo caminhava por uma estrada de Damasco quando uma luz o envolveu e ele caiu no chão. “Saulo, Saulo, Saulo, por que me persegues?”, indagou Jesus. Quando levantou, estava cego. Três dias depois, voltou a enxergar, converteu-se ao cristianismo e dedicou a vida à pregação. Passou um tempo na Arábia, regressou a Damasco e, no ano 39, foi para Jerusalém. Depois, chegou a Cilícia, Antioquia, Chipre, Panfília e Licaônia. Foi então que passou a usar o nome grego Paulo em vez de Saulo. O apóstolo é considerado um missionário que formou diversas comunidades cristãs no Ocidente.

No ano 49, quatorze anos após sua conversão, partiu para Jerusalém com o objetivo de participar do concílio apostólico, onde ajudou na tese de que a lei judaica deixaria os cristãos professar sua fé. Em seguida, Paulo partiu para sua quinta visita a Jerusalém. Não foi bem recebido ao fazer uma visita ao templo – acabou detido, maltratado e preso. Seu cativeiro em Cesárea durou dois anos. Vendo que não encontravam provas contra ele, o apóstolo exigiu seus direitos de cidadão romano e sua causa foi vista pelo próprio imperador Nero. Em seguida ao julgamento, foi posto em liberdade. Porém, durante uma viagem de pregação a Roma, condenaram-no e cortaram-lhe a cabeça na Via Ostiense, perto do local onde hoje está a basílica de São Paulo e onde se venera sua tumba. Seus feitos são narrados na Bíblia por São Lucas, nos Atos dos Apóstolos e nas cartas que o próprio Paulo escreveu.

 

O protetor dos pescadores

1. Sua mão direita aponta para o céu, numa referência ao criador.

2. Na outra mão, Pedro carrega a chave entregue simbolicamente por Cristo para que o apóstolo pudesse abrir as portas do céu.

A oração

Ó São Pedro, pedra viva da Igreja fundada por Jesus Cristo, vós que fostes chamado pelo Senhor para ser pescador de homens e mulheres, vós que dissestes “Senhor, a quem iremos? Pois só Tu tens palavras de vida eterna” vinde em meu auxílio com vossa intercessão junto a Deus, dando-me coragem para seguir o vosso exemplo de amor fiel a Cristo e anunciar a boa-nova na família, na comunidade, no trabalho e em toda a parte. Ó São Pedro, vós que fizestes a mais bela declaração de amor: “Senhor, Tu sabes que eu Te amo” ensinai-me hoje o caminho da justiça para que eu tenha saúde e paz e alcance a graça que vos peço (fazer o pedido). Amém.

Importante

Pedro era pessoa-chave entre os apóstolos: presenciou o primeiro milagre de Cristo, quando transformou água em vinho nas bodas de Caná, viu a transfiguraçnao do messias e preparou o cenário da Última Ceia.

 

O santo do evangelho

1. A espada representa o seu passado como soldado judeu que perseguia cristãos

2. A Bíblia é uma referência à vida de pregação dos ensinamentos da vida de Cristo.

3. O dedo aponta para o céu, em referência a Deus e a Jesus Cristo.

A oração

Ó grande apóstolo São Paulo, mestre dos gentios, corajoso seguidor de Cristo. Destemido evangelizador, fundador de comunidades, dai-nos este espírito de apóstolo de vosso mestre Jesus, a fim de que possamos dizer a todos: “Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim”. Iluminai a todos os povos com a luz do Evangelho, que com tanto amor testemunhastes, procurando estabelecer no mundo o reino de justiça e de amor do vosso mestre. Suscitai muitas vocações missionárias, que vosso exemplo a levam Cristo a todos os povos. São Paulo apóstolo, rogai por nós.