Por que se diz: ficou de quatro

Piada é feita quando a pessoa está de quatro ou em pé com o tronco para a frente

Mário Araujo Publicado em 01/11/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Usada normalmente quando uma pessoa está de quatro ou em posição “genupeitoral” (em pé, com o tronco tombado para frente), a expressão existe na língua portuguesa e é atribuída à possível posição em que o general francês Napoleão Bonaparte se encontrava num momento de derrota. No entanto, não há comprovação histórica para o fato.

As explicações são as mais variadas. “Fala-se da possibilidade de Napoleão ter se abaixado durante a Batalha de Waterloo – cuja derrota, em 1815, marcaria o fim definitivo de seu Império –, para apanhar algum objeto que caíra no chão, e ter ficado exposto ao fogo inimigo”, afirma a historiadora Raquel Stoiani, autora do livro Da Espada à Águia: Construção Simbólica do Poder e Legitimação Política de Napoleão Bonaparte. “Há ainda quem diga que, devido a uma suposta crise de hemorróidas, ele teria passado horas na tal posição, sem poder andar a cavalo. Assim, não teria tido tempo suficiente para elaborar devidamente sua estratégia para o confronto.”

Alguns pesquisadores ainda cogitam a possibilidade de a expressão ter se originado quando Napoleão e seus soldados voltavam exaustos e derrotados pelas geleiras da Rússia. No percurso, eles caíam, reclinando-se e formando com seus corpos ângulos de 90 graus – a campanha da Rússia, em 1812, é considerada o início da derrota do general. Segundo o historiador americano David Bell, especialista em Napoleão da Universidade Johns Hopkins, tal expressão não encontra similar em outras línguas. “Em inglês, alemão ou francês não existe menção ao fato”, diz.