Soldados-Robôs

Em 2014, máquinas de combate autônomas se juntarão aos americanos nos campos de batalha

01/01/2006 00h00 Publicado em 01/01/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Eles não têm medo de morrer, não questionam ordens e são capazes de tomar decisões por conta própria, sem hesitar, durante uma situação de combate. A Darpa (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada em Defesa) investe centenas de milhões de dólares todos os anos no desenvolvimento de veículos terrestres sem pilotos, conhecidos como UGV (Unmanned Ground Vehicle), que atuem com o mínimo ou sem nenhuma interferência humana.

Equipados com câmeras, microfones, sensores de movimento e temperatura, radares e lasers, os UGVs em teste hoje já conseguem se deslocar em qualquer tipo de solo sem controle remoto ou telecomando algum. Um deles reconhece obstáculos e traça sozinho o melhor itinerário. É semi-autônomo porque segue o emissor carregado por um soldado.

O plano divulgado pelo Pentágono em 2005 pretende reforçar as tropas americanas em 2014 com três UGVs dotados de inteligência artificial: MULE, SUGV e ARV. Espera-se somar às características atuais um software que permita a essas máquinas aprender com as próprias experiências e imitar o telecomando humano. A idéia é construir supersoldados-robôs, resistentes e capazes de executar as tarefas consideradas perigosas. Entre as habilidades desses FCS (sigla em inglês para Futuros Sistemas de Combate), pretende-se incluir softwares avançados de processos cognitivos e, o mais impressionante e assustador, comportamentos de cooperação e colaboração. Tradução: as máquinas irão interagir e trocar informações entre si sem a intervenção humana. Só faltam falar: “Hasta la vista, baby!”

 

Conheça as máquinas com inteligência artificial

Elas vão substituir soldados em operações mais perigosas

MULE - Multifunction Utility Logistics and Equipment

Esta máquina carregará armas e mantimentos. As seis rodas têm um sistema de suspensão articulada que permite acompanhar o soldado aonde quer que ele vá, transpondo morros, riachos e lamaçais. Existem as versões de ataque, com mísseis e metralhadoras, e com dispositivos para neutralizar minas terrestres.

Peso: 2,5 toneladas

Tamanho: 2 m de largura, 4,50 m de comprimento e 2,50 m de altura

Fabricante: Lockheed and Martin

SUGV - Small Unmanned Ground Vehicle

Pequeno e leve, essa UGV tem funções como reconhecimento de campo, vigilância e missões de inteligência em túneis, esgotos e ca-vernas. Trata-se de uma evolução do robô-mochila, já usado pelos americanos no Iraque. Pode se locomover em terrenos acidentados, subir e descer escadas.

Peso: 13 kg

Tamanho: 40 cm de largura, 68 cm de comprimento e 18 cm de altura

Fabricante: iRobot Corporation

ARV - Armed Robotic Vehicle

Será incorporado às brigadas blindadas. Mísseis de longo alcance, um canhão automático e uma metralhadora garantem a força destrutiva. Ele tem um segundo modelo para fazer reconhecimento, vigilância e detecção de alvos. Um mastro retrátil traz um sensor infravermelho que localiza inimigos a grandes distâncias.

Peso: 8,5 toneladas

Tamanho: 2,50 m de largura, 4,20 m de comprimento e 3 m de altura

Fabricante: UDLP