O túmulo da Blitzkrieg

Com armas ligeiras, como granadas e rifles de precisão, os soldados o 62º exército soviético conseguiram parar a máquina de guerra nazista

Fabiano Onça Publicado em 12/07/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

A Batalha de Stalingrado permitiu ao general Vassili Chuikov, responsável pela ferrenha defesa da cidade, desenvolver na prática uma série de novos conceitos sobre luta urbana. “O 62º Exército, responsável pela defesa da cidade, tornou-se mestre em armar emboscadas para os tanques ou para as tropas, utilizando granadas, bazucas e outros armamentos típicos da infantaria”, afirma o prof. Wilson Barbosa, professor de História Moderna e Contemporânea da Universidade de São Paulo (USP). “Com armas simples, eles quebraram a lógica da Blitzkrieg [“guerra-relâmpago”] e o moral dos soldados alemães.” A seguir, veja os principais armamentos utilizados no conflito.

Tanque t-34

Um dos melhores carros de combate de toda a guerra, o T-34 era um tanque médio e foi o principal modelo produzido pelos soviéticos durante o conflito. Apresentava excelente performance nos quesitos poder de fogo, defesa e mobilidade. O tanque conseguia transitar com desenvoltura pelo difícil terreno soviético, como nos lamaçais, enquanto seus inimigos fugiam desse tipo de solo. Seu design, com placas inclinadas, foi uma revolução, pois dificultava o tiro em cheio.

Rifle Moisin-Nagant m91/30

Desenvolvido entre 1880 e 1890, para equipar os exércitos do czar, foi uma das primeiras armas de sua categoria a adotar o calibre .30 de 7,62 x 54 mm. Passou por uma modernização em 1930, em um esforço de padronização das armas feito pelo Exército Vermelho. De aparência robusta, era fácil de produzir (cada unidade era montada em 13 horas) e ainda mais fácil de manejar. Quem assistiu ao filme Círculo de Fogo (2001) viu um legítimo Moisin-Nagant nas mãos do lendário sniper russo Vassili Zaitsev.

Ficha Técnica

Calibre: 7,62 x 54 mm

Cadência: 900 disparos/min

Velocidade do projétil: 770-785 m/s Alcance efetivo: ....................400 m (800 com mira telescópica)

Peso: 3,63 kg (descarregada)

Comprimento: 1 020 mm, 1318 mm

Cartucho: 5 projéteis

FlaK 88

Abreviação de Flugabwehr-Kanone, que significa "canhão antiaéreo". Originalmente projetado para abater aviões, o FlaK 88 provou ser também um eficiente antitanque (atuando dessa forma, era chamado de PaK 88 – Panzerabwehrkanone, canhão antitanque).

Ficha Técnica

Canhão: 88 mm

Peso: 7 t.

Cadência: 12 a 15 disparos por minuto

Elevação: -3º a +85º

Alcance máximo horizontal: 5 000 m

Alcance máximo vertical: 10 880 m

Cachorro-bomba

Uma das armas mais originais dos soviéticos, os cães eram utilizados para explodir tanques nazistas. No melhor estilo pavloviano, os animais aprendiam que, embaixo dos tanques, sempre havia comida. Quando estavam famintos, eram enviados para “achar” comida embaixo dos tanques alemães. Com um detalhe: levavam nas costas uma bomba. Em 1942, cerca de 300 carros de combate alemães foram postos fora de combate dessa forma. A maior eficácia dessa arma era psicológica. O Alto Comando alemão ordenou a seus soldados que abatessem qualquer cão que vissem, e as tripulações dos tanques alemães entraram em paranóia. A brigada canina, entretanto, foi afastada do front após incidentes em que os cães, assustados em uma batalha, correram para baixo dos tanques soviéticos, forçando o recuo de uma divisão blindada completa.

Granada F-1

Esta granada de fragmentação era conhecida pelas tropas russas carinhosamente como limonka (limão), por causa de seu formato. Seu aspecto era muito parecido com a da norte-americana MkIIA1 (apelidada por sua vez de de pineapple - abacaxi). Suas “rugas” ajudavam a evitar que a granada escorregasse das mãos dos soldados. Em Stalingrado, a configuração do terreno dificultava a ação precisa da artilharia. Mas era ideal para que os soldados se esgueirassem pelos escombros da cidade e surpreendessem os inimigos com uma “barragem” de granadas – apelidada pelos soviéticos de “artilharia de bolso”.

Ficha Técnica

Peso: 600 g (com detonador)

Carga: 60 g de TNT

Distância: 30 a 45 metros

Fragmentação: até 30 metros

Comprimento: 117 mm

Metralhadora MG42

A temida Maschinengewehr 42 alemã foi a metralhadora mais eficaz da Segunda Guerra, graças a seu alto poder de fogo e robustez, que eram essenciais na luta urbana.

Ficha Técnica

Calibre: 7,92 mm

Munição: 7,92 x 57 mm

Peso: 11,57 kg

Cadência: 1 200 cartuchos/min

Velocidade: 755 m/s

Alcance efetivo: 1 000 m