Veja quem são os maiores preguiçosos da história

Tiago Cordeiro Publicado em 01/03/2012, às 16h24 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Preguiçosos
Preguiçosos - Arquivo Aventuras
Não parece justo que dormir até mais tarde seja definido como um pecado capital. Mas pode ser. Por deliciosa que seja, a preguiça é levada tão a sério pelo cristianismo que a primeira lista organizada pelo monge Evagrius Ponticus (345-399) dedica a ela dois itens: acedia e tristicia, o latim para "apatia" e "desespero". Foi o papa Gregório I (540-604) que fundiu a segunda na primeira. Mas o que explica tamanha preocupação com atitudes supostamente inocentes? A acedia é caracterizada pela apatia espiritual, incapacidade de se importar com o próximo ou com qualquer coisa, procrastinação (deixar tudo para depois) e sensação de autopiedade e letargia. "É uma morfina espiritual, doce, mas venenosa a longo prazo", diz o cientista político Hugo Cyr, professor da Universidade de Québec. Já a tristicia é a antítese da fé. Na versão atual, a depressão. No limite, leva à omissão diante de um assassinato - ou ao suicídio.

Clique na imagem para ampliar

Design: Cinthia Suenaga Ilustrações: Murilo Maciel e Estúdio Chanceler