Vietnã x Iraque: as semelhanças das duas guerras

Motivo polêmico, pouco apoio popular...Veja as semelhanças e diferenças entre as duas guerras que colocaram os Estados Unidos em um beco sem saída

Rodrigo Cavalcante Publicado em 01/03/2007, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Pague para entrar, reze para sair. Em meio à cada vez mais complicada Guerra do Iraque, a comparação com o Vietnã é inevitável. A começar pelo pretexto usado pelos Estados Unidos para entrar na Guerra do Vietnã (1964-1975), que, para alguns especialistas, foi quase tão furado quanto a tal evidência alegada pelos americanos de que o Iraque tinha armas de destruição em massa.

No caso do Vietnã, tudo começou em julho de 1964, quando os navios americanos USS Maddox e USS C.Turney Joy teriam sido atacados pelos comunistas do Vietnã do Norte ao patrulharem o golfo de Tonquim, a sudeste de Hanói, capital do país. Hoje, especula-se que o ataque tenha sido uma ocorrência pouco importante usada como desculpa para o governo americano intervir diretamente na região. Desde 1962, os Estados Unidos já vinham enviando armas, dinheiro e assessores militares para a ditadura pró-capitalista do Vietnã do Sul resistir aos comunistas do norte do país.

Uma vez lá, assim como hoje no Iraque, o exército americano descobriu que seu poderio bélico não era capaz de dominar a resistência vietnamita. Dotados de uma rede de abrigos subterrâneos e túneis, os vietcongues (como eram chamados os guerrilheiros do Vietnã do Norte) contra-atacavam por meio de armadilhas e emboscadas. Além disso, a transmissão pela TV das mortes de soldados americanos e de civis vietnamitas minou a popularidade da Casa Branca, que durante o governo Nixon foi cercada por milhares de manifestantes que exigiam o fim de uma guerra cujo fardo financeiro – e de vidas – se tornara insustentável.

Para o pesquisador americano Robert K. Brigham, autor do livro Is Iraq Another Vietnam? (“O Iraque é outro Vietnã?”, inédito no Brasil) e professor de Relações Internacionais da Faculdade Vassar, em Nova York, as semelhanças não param por aí. “Mais uma vez o país está engajado em uma guerra de fronteiras nebulosas, sem uma estratégia clara de saída, sem uma boa definição de o que seja a vitória, sem o aval das Nações Unidas, com pouco apoio de aliados, custos cada vez mais altos e uma crescente insatisfação popular”, escreve Brigham. Mas ele enfatiza também as diferenças de duração e número de mortes entre os conflitos. Ao menos por enquanto, o Vietnã ainda é o campeão de trágicas estatísticas.

 

Guerras parecidas

Alguns números sobre os dois conflitos

VIETNÃ - 1964-1975

Motivo alegado para a guerra - Responder o ataque dos norte-vietnamitas a navios americanos

Motivo real da guerra - Impedir a expansão do comunismo na Ásia

Número de militares americanos em batalha - 500 mil

Custo da guerra - 150 bilhões de dólares

Número de mortos - 57 039 soldados americanos/ 1,5 milhão a 2 milhões de vietnamitas (civis e militares)

Relação entre vítimas - Dois civis vietnamitas mortos para cada militar

IRAQUE - 2003 - ?

Motivo alegado para a guerra - Eliminar armas de destruição em massa e levar democracia ao Iraque

Motivo real da guerra - Eliminar um inimigo no Oriente Médio em nome da guerra contra o terror e, de quebra, controlar o petróleo na região

Número de militares americanos em batalha - 132 mil

Custo da guerra - 1,2 trilhão de dólares

Número de mortos - 3 399 soldados aliados (a maioria americanos)/ entre 50 mil e 500 mil iraquianos (civis e militares)

Relação entre vítimas - Menos de 5% das vítimas iraquianas são militares