Curiosidades » Reino Unido

Monarquia britânica: 10 regras peculiares que a família real precisa seguir

Diretrizes impostas há anos fazem com que membros — algumas vezes — quebrem o protocolo real

Daniela Bazi Publicado em 25/09/2020, às 12h00

Rainha Elizabeth e o seu marido Philip, ao lado de Anne e Charles
Rainha Elizabeth e o seu marido Philip, ao lado de Anne e Charles - Wikimedia Commons

A família real britânica vive rodeada de inúmeras regras que devem ser seguidas a risca todos os dias, e que estão presentes há décadas. Conheça 10 regras inusitadas que a família de Elizabeth II deve seguir.

1. Sentar com a postura correta

Elizabeth II com Nicola Sturgeon, primeira-ministra da Escócia em 2016 / Crédito: Divulgação/Instagram

 

Em todas as aparições públicas, as mulheres não podem se sentar de qualquer forma. Diferente das plebeias, elas também não tem a autorização de se sentar com as pernas cruzadas, uma em cima da outra. Segundo a regra, todas devem se sentar com os joelhos juntos e os tornozelos cruzados, inclinando-os para um lado.


2. Sempre carregar uma roupa preta na mala

Em todas as viagens feitas pelos membros da família real é obrigatório que se tenha uma roupa preta em sua bagagem. A regra serve para caso algum parente venha a óbito e eles precisem demonstrar o luto. Ela foi imposta durante uma viagem da rainha Elizabeth, em que ela, ainda no aivão, foi surpreendida com a morte de seu pai, o rei George VI. No momento, ela não tinha nenhuma roupa preta em sua mala.


3. A gravidez só é anunciada depois de 12 semanas

Quando uma mulher da Casa de Windsor fica grávida, a notícia só é revelada após 12 semanas, como forma de prevenção. A única exceção que já aconteceu em relação a esse caso foi com Kate Middleton, a Duquesa de Cambridge, que sentia muitas náuseas durante sua gravidez. Assim, o Palácio de Buckingham teve que explicar a sua frequente ausência em eventos oficiais.


4. Apenas mulheres podem assistir a um parto real

Em todos os partos reais, nenhum homem tem a autorização de acompanhar o nascimento do novo membro. Mesmo quando os procedimentos ainda eram realizados dentro do palácio, os pais não podiam acompanhar seu filho vir ao mundo. Segundo o costume, esse é um momento que deve ser reservado apenas para as mulheres.


5. Crianças tem uma roupa específica para usar

Príncipe George e princesa Charlotte / Créditos: Getty Images

 

Nenhuma das crianças da família real podem usar calças, independente da época do ano. Os meninos são obrigados a utilizar shorts, enquanto as meninas devem usar vestido até atingirem os oito anos de idade.  


6. Todos os membros podem ter até quatro nomes

Quando uma criança nasce, ela recebe de seus pais, pelo menos, quatro nomes, e não utilizam o sobrenome da família. Em vez disso, podem acabar utilizando o título real. Por exemplo, o nome completo da princesa Charlotte, filha de William e Kate, é Charlotte Elizabeth Diana, e ela é reconhecida normalmente como Princesa Charlotte de Cambridge, devido ao título de seus pais de Duques de Cambridge.


7. O sexo do bebê, durante a gravidez, é segredo

Em todos os períodos de gravidez da família real, o sexo do bebê não é revelado para o público até o nascimento. Isso serve, principalmente, pela gravidez de um membro se tornar um grande evento no Reino Unido. Faz parte do costume britânico especular e fazer apostas sobre o sexo e o nome do novo Windsor.


8. Pelo menos dois filhos por casal

O rei George V também não seguiu a regra e teve mais de dois filhos / Créditos: Getty Images

 

É tradição que na família os membros tenham, no mínimo, dois filhos. A regra serve para garantir herdeiros na linha de sucessão ao trono, porém, não é obrigatório que permaneçam apenas no segundo filho. A rainha Elizabeth e o príncipe Philip, e seu neto o príncipe William e sua esposa Kate Middleton são algumas das exceções que ultrapassaram o número de apenas duas crianças.  


9. Sempre deve haver uma murta no buquê da noiva

A flor murta serve como um símbolo de boa sorte e felicidade durante um casamento. Por esse motivo, é obrigatório que tenha um ramo de murta nos buquês de todas as noivas da família real. A tradição teve início no casamento da rainha Vitória, que recebeu um raminho da avó de seu noivo, o príncipe Albert. Nos dias atuais, a murta utilizada nos buquês é retirada diretamente do jardim real.


10. Sem vínculos com parentes que não são da nobreza

Kate Middleton no dia de seu casamento / Crédito: Getty Images

 

Caso algum membro da família possua parentes que não tem títulos reais eles não tem a autorização para que mantenham relações. Apenas parentes da linhagem real é permitida. Entretanto, a Duquesa de Cambridge, Kate Middleton, foi uma das primeiras a quebrar essa regra, já que tem o costume de passar muito tempo com seus familiares plebeus.


+Saiba mais sobre a monarquia britânica através de grandes obras

Vitória, a rainha: Biografia íntima da mulher que comandou um Império, Julia Baird, 2018 - https://amzn.to/2T9uEuc

Elizabeth I - O Anoitecer de um Reinado, Margaret George, 2012 - https://amzn.to/2FBPL08

História concisa da Grã-Bretanha, W. A. Speck, 2013 - https://amzn.to/35CrWjh

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7