Curiosidades » Arqueologia

As 5 descobertas arqueológicas mais lidas de outubro

O Egito dominou as manchetes do mundo todo com seus sarcófagos e múmias de 2.500 anos intactos, mas outros países também encontraram itens importantes e curiosos

Isabela Barreiros Publicado em 31/10/2020, às 08h00

Alguns dos sarcófagos encontrados no Egito
Alguns dos sarcófagos encontrados no Egito - Divulgação/Ministério de Antiguidades do Egito

No último mês, em outubro, inúmeras descobertas arqueológicas foram feitas ao redor do mundo: o trabalho de pesquisadores não parou mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus. 

Em especial, é preciso destacar o papel de arqueólogos que estão encontrando peças importantíssimas nas últimas semanas no Egito. Foi um mês movimentado para a região, onde já foram desenterrados muitos sarcófagos e múmias.

Separamos as 5 descobertas arqueológicas mais lidas do mês de outubro. Confira!

1. 59 sarcófagos no Egito

Visão dos sarcófagos encontrados - Divulgação/Facebook/Ministério de Antiguidades do Egito

 

Em 3 de outubro, já no começo do mês, foi possível perceber que as próximas semanas seriam de grande importância para a arqueologia. Naquele dia, o Ministério de Antiguidades do Egito anunciou uma descoberta arqueológica chocante: foram desenterrados 59 sarcófagos intactos.

Os itens foram descobertos no sul do Cairo, em em três poços de 12 metros. Com impressionante estado de conservação, os túmulos provavelmente pertenceram a sacerdotes que faziam parte da 26ª dinastia. Acredita-se, assim, que eles ficaram 2.500 anos selados em Saqqara.

Confira a notícia completa aqui.


2. Mais de 80 sarcófagos de 2.500 no Egito

Dentro da necrópole que revelou mais de 80 tumbas / Crédito: Ministério de Turismo e Antiguidades do Egito

 

Como já foi dito, o Egito nos revelou inúmeros objetos importantes ao longo desse mês. No dia 29 de outubro, o Ministério de Antiguidades divulgou novamente que outro projeto foi responsável por localizar mais de 80 caixões, também na região ao sul de Cairo.

O secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, Mostafa Waziri, informou que é muito possível que os artefatos datem do mesmo período que aqueles descobertos no começo do mês, ou seja, 2.500 anos. Foram desenterradas ainda estátuas de madeiras dourada em cores vibrantes.

Confira a notícia completa aqui.


3. Tumba com estátuas no Egito

Os vasos encontrados /Crédito: Divulgação- Ministério de Antiguidades do Egito

 

Ainda não parou por aí. No dia 24 de outubro, segundo o Ministério do Turismo e Antiguidades, uma grande tumba contendo itens curiosos foi identificada na província de Minya, Alto Egito. Ela tem cerca de 10 metros de profundidade e está no sítio arqueológico de Tuna al-Gabal.

De acordo com informações de Waziri, a missão arqueológica realizada no local revelou estátuas de pedra, caixões e outros itens curiosos. Ele afirma ainda que o local de enterro pertencia a um homem que serviu como "supervisor do tesouro real", demonstrando sua importância na região.

Confira a notícia completa aqui.


4. Relíquias de quase 10 mil anos nas montanhas alpinas

Muitos artefatos antigos estão surgindo das geleiras que estão derretendo nas montanhas alpinas devido às mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global. No último dia 19, um time de pesquisadores descobriu inúmeros objetos antigos que foram conservados pelo gelo.

Os arqueólogos foram responsáveis por localizar uma corda de fibras vegetais de 6 mil anos, uma pequena estátua de madeira e sapatos, e, uma descoberta ainda mais impressionante: os restos mortais bem preservados de um homem, que provavelmente viveu no ano 2.800 a.C..

Confira a notícia completa aqui.


5. Túmulo de homem rico do século 6 na Inglaterra

Os restos mortais do senhor da guerra / Crédito: Divulgação/ University of Reading

 

Não foi apenas no Egito que descobertas arqueológicas importantes foram feitas nesse último mês. Ainda no dia 19, cientistas da Universidade de Reading, no Reino Unido, usaram detector de metais para escavações e acabaram encontrando um túmulo de um homem rico que viveu durante o século 6  no sul da Inglaterra.

A partir de pesquisas no local, foi possível constatar que o indivíduo foi um senhor da guerra anglo-saxão. A confirmação disso veio principalmente devido aos artefatos valisoso que foram localizados dentro de sua tumba. O homem estava acompanhado de uma espada e uma bainha decorada, além de tigelas de bronze. 

Confira a notícia completa aqui.


+Saiba mais sobre arqueologia por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Arqueologia, de Pedro Paulo Funari (2003) - https://amzn.to/36N44tI

Uma breve história da arqueologia, de Brian Fagan (2019) - https://amzn.to/2GHGaWg

Descobrindo a arqueologia: o que os mortos podem nos contar sobre a vida?, de Alecsandra Fernandes (2014) - https://amzn.to/36QkWjD

Manual de Arqueologia Pré-histórica, de Nuno Ferreira Bicho (2011) - https://amzn.to/2S58oPL

História do Pensamento Arqueológico, de Bruce G. Trigger (2011) - https://amzn.to/34tKEeb

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W