Curiosidades » Múmias

5 múmias impressionantes do Egito Antigo e suas histórias

Da Dama Jovem, possível mãe de Tutancâmon, ao faraó Ramsés II, saiba mais sobre os enigmáticos corpos mumificados

Isabela Barreiros Publicado em 09/08/2020, às 07h00

Múmias da Dama Jovem, Ramsés II e Seti I
Múmias da Dama Jovem, Ramsés II e Seti I - Wikimedia Commons

1. Dama Jovem

Ferimentos no corpo da Dama Jovem / Crédito: Wikimedia Commons

 

Em março de 1898, o egiptólogo francês Victor Loret descobriu no Vale dos Reis 63 tumbas e câmaras faraônicas. Dentro de uma delas, estava a enigmática múmia que ficou conhecida como Dama Jovem. Medindo tinha 1,58 m de altura, ela provavelmente tinha pouco mais de 25 anos quando morreu.

Ela estava com ferimentos causados tanto pela ação de vândalos quanto pelo que o especialista Julian Heath considerou ser um machucado causado por um golpe de machado, tendo sido letal.

O mais interessante sobre a múmia, porém, é a sua possível identidade. De acordo com arqueólogo Zahi Hawass, ela pode ser a mãe do faraó Tutancâmon e filha do faraó Amenófis III e da rainha Tiye, de acordo com análises de DNA.


2. Amósis I

Múmia de Amósis I / Crédito: Wikimedia Commons

 

Por mais que faraós tenham construídos suas pirâmides e sarcófagos ainda em vida para serem colocados nos locais para o pós-morte, o fato é que isso muitas vezes foi ignorado. Ao longo dos anos, saqueadores invadiram as instalações para roubar itens valiosos e poderiam destruir múmias.

Sabendo disso, em algum momento durante a dinastia 21, pessoas coletaram algumas múmias e as colocaram em uma outra tumba, para, assim, enganar os vândalos. Foi isso que aconteceu com Amósis I e inúmeros outros corpos mumificados, o que dificultou sua descoberta. Ele foi encontrado em Deir el Bahri, na Necrópole de Tebas.

Amósis I morreu com por volta dos 30 a 35 anos, tinha 1,68 m de comprimento e uma cabeça pequena em proporção ao busto. Ele tinha cabelos grossos e ondulados e seu órgão genital estava intacto. Além disso, segundo o egiptólogo Gaston Maspero, “o rosto se assemelha exatamente ao de Tao II e a semelhança proclamaria a afinidade, mesmo se ignorássemos o relacionamento íntimo que unia esses dois faraós.


3. Seti I

A múmia de Seti I / Crédito: Wikimedia Commons

 

Em 1817, o explorador italiano Giovanni Belzoni encontrou a tumba do importante faraó Seti I. Ainda que tivesse feito uma importante descoberta, faltava uma parte essencial: a múmia do rei, que não estava no local. Isso demorou alguns anos, mas, na década de 1880, o egiptólogo francês Gaston Maspero conseguiu resolver o enigma, encontrando o corpo mumificado em um ótimo estado de preservação, embora decapitado.

O corpo mumificado estava media por volta de 1,7 metro de altura e sua cabeça foi separada do resto do torso, provavelmente pelos saqueadores que tentavam danificar as descobertas egípcias. Mais que isso: os vândalos ainda deterioraram os curativos do cadáver e esmagaram seu abdômen. O rosto do faraó permaneceu intocado.

Após análises feitas por cientistas, eles chegaram à conclusão de que o rei egípcio morreu inesperadamente com menos de 40 anos. Essa informação traz mais questionamentos sobre a vida e morte do faraó, porque isso contrasta o fato de que seu pai, Ramsés I e seu filho, Ramsés II viveram até uma idade avançada.


4. Duathathor-Henuttawy

A múmia de Duathathor-Henuttawy / Crédito: Wikimedia Commons

 

Princesa egípcia, e, posteriormente, rainha, provavelmente foi filha de Ramsés XI, a múmia de Duathathor-Henuttawy foi encontrada em uma enorme tumba localizada na necrópole de Tebas, no Egito. Lá estavam pelo menos 50 restos mortais de faraós, rainhas e nobres do Egito Antigo.

O local funcionou como uma espécie de esconderijo para proteger as múmias de antigos egípcios de vândalos, o que se tornou uma prática no Egito. Ainda que tivesse sido escondido, todo o ouro do caixão de madeira que guardava a princesa egípcia foi retirado.

O corpo de Duathathor também foi danificado por vândalos. Seu peito, por exemplo, foi praticamente esmagado no momento em que os ladrões de tumbas tentaram procurar o escaravelho que ocupava o lugar do coração da mulher, técnica muito utilizada no Egito Antigo durante a mumificação.


5. Ramsés II

A múmia de Seti I / Crédito: Speedster/Wikimedia Commons

 

Quando Ramsés II faleceu em 1214 a.C, ele foi enterrado em um túmulo no Vale dos Reis, conhecido como KV7. A tumba é muito maior que a de seu pai, o faraó Seti I, mas ela era mais simples. No entanto, não foi nela que o corpo do rei foi encontrado. Na verdade, a ação de pessoas durante a 21ª Dinastia do Egito Antigo permitiu que a múmia sobrevivesse até os dias de hoje.

O governante foi descoberto na enorme tumba Deir el Bahri, localizada na necrópole de Tebas. Lá, estavam ainda os restos mortais de faraós importantes como Amósis I, Tutmés I, Tutmés II, Seti I, Ramsés I, Ramsés IX e Amenófis I, por exemplo, totalizando ao menos 50 corpos mumificados no túmulo DB320.


+Saiba mais sobre o Egito Antigo através de importantes obras disponíveis na Amazon:

O Egito Antigo, Ciro Flamarion Cardoso (1982)https://amzn.to/2mUip74

Religião e Magia no Antigo Egito, Rosalie David (2011) - https://amzn.to/2nT5Ngi

O Egito dos Grandes Faraós, Christian Jacq (2007) - https://amzn.to/2n35mjD

Egito Antigo, Sophie Desplancques (2009) - https://amzn.to/2oCfCjr

Tesouros do Egito, Francesco Tiradritti (2000) - https://amzn.to/2n34L1l

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du