Curiosidades » Contos

5 vezes em que o diabo tentou corromper os santos e se deu mal

De Santo Antônio e Santa Catarina, diversos contos relatam as peripécias de satanás e suas curiosas artimanhas

Redação Publicado em 22/03/2019, às 09h41

Santa Catarina luta contra o diabo
Reprodução

Diversos contos históricos relatam a luta que o diabo travou contra santos na tentativa de corrompê-los na vida mundana. Quase sempre, o satanás se deu mal!

Santo Antônio, São Bento e Santa Catarina são alguns dos santos que já foram tentados pelo diabo e conseguiram vencer as mais diversas provocações.

Relembre as principais lutas retratadas em contos ao longo da história:

Santo Antônio

Santo Antônio nasceu de pais ricos, mas decidiu desistir da 'vida feita' e se retirou para o deserto com o intuito de viver uma vida de santa contemplação. E o diabo, claro, não ia deixar Antônio escapar das tentações do mundo. O diabo atormentava o pretenso santo com a preguiça, tédio e as imagens tentadoras das mulheres. Santo Antônio lutou contra eles com uma oração cada vez mais intensa. Irritado com a resistência de seu oponente a ataques mentais, o diabo investiu fisicamente para agredi-lo com um bando de demônios inferiores até que o santo caiu inconsciente -- em sua única vitória. Santo Antônio foi resgatado por um amigo e recuperou sua saúde antes de buscar reclusão novamente. O diabo viu que as ameaças físicas não funcionavam, então enviou legiões de bestas selvagens com ordens para fazer o que quisessem com a vítima. Antônio apenas riu do Diabo e de seus inúmeros fantasmas assustadores . "Se algum de vocês tem alguma autoridade sobre mim, apenas um teria sido suficiente para lutar comigo", declarou o religioso.

 

São Bento

São Bento também era um jovem rico que largou os prazeres da vida mundana para viver a austeridade religiosa. Bento retirou-se de Roma para uma caverna isolada. Assim como outras tentativas de fugir dos pecados, o Diabo não se contentou em deixar o religioso escapar de suas garras. A primeira tentativa foi visitar Bento na forma de um pássaro e realizou diversas bicadas perto de seu rosto. Bento simplesmente o benzeu e se livrou do bicho. A próxima tentativa do diabo foi mais carnal. Ele tomou a forma de uma bela dama a quem Bento havia se interessado. A visão era tão sedutora que o religioso quase saiu de sua caverna para se render às delícias e prazeres da carne. No entanto, ele salvou sua alma quando se atirou em um arbusto espinhoso e rolou para mortificar sua carne. Um banho gelado no rio talvez tivesse um efeito calmante menos doloroso, não?

 

Santa Catarina

Santa Catarina é reconhecida pelos católicos como uma das doutrinas da Igreja - santos importantes para a formação da teologia da Igreja Católica. Mas para alcançar essa posição, ela primeiro teve que se unir a Cristo e batalhar contra o diabo. Mas o satanás não permitiu que Catarina realizasse uma jornada fácil para a santidade. Ele a subjugou com imagens repugnantes e alucinações que duraram dias. Durante esse tempo, ela não conseguia se comunicar com Deus. Por fim, as visões foram dissipadas pelas orações de Catarina.

 

St. Wolfgang

St. Wolfgang decidiu construir uma igreja. Para determinar onde erguê-la, ele subiu uma montanha, jogou um machado e observou o local do pouso. Uma vez que ele chegou ao local onde o machado caiu, decidiu que precisava de uma pequena ajuda com a construção. O diabo apareceu a St. Wolfgang e ofereceu seu seviço. O preço: o diabo conseguiria reivindicar a alma da primeira coisa viva que entrasse na igreja que ele ajudou a construir. Wolfgang concordou. Embora a igreja parecesse bonita, os habitantes locais sabiam que ela havia sido feita com a ajudinha do diabo porque nenhuma das linhas era regular ou compatível com as outras igrejas da época. E Wolfgang começou a temer o preço que ele teria que pagar. Eis que um lobo perseguido por caçadores (e muito conveniente) correu em direção à igreja. Wolfgang abriu a porta e o lobo entrou correndo. Wolfgang apontou para o lobo e disse ao diabo que levasse a alma do primeiro ser vivo que entrasse na igreja. Aparentemente, a dívida estava paga!

 

St. Dunstan

St. Dunstan era conselheiro de um dos reis anglo-saxões da Inglaterra, mas foi acusado de bruxaria e banido da corte. Ele levou a vida santa de um eremita, tocando harpa e trabalhando como ferreiro. Como sempre, o diabo não permitiria que alguém vivesse uma vida simples e sagrada. Um dia, enquanto Dunstan trabalhava em sua ferraria, o diabo assumiu a forma de uma jovem mulher e dançou para tentar convencê-lo a pecar. Mas o rapaz ignorou a dançarina e continuou com seu trabalho. A  dança do diabo tornou-se mais selvagem, e suas saias se ergueram enquanto ela girava, revelando suas partes íntimas. Dunstan agarrou o nariz do diabo com as tenazes de brasa de sua forja e o expulsou. Dunstan forçou o diabo a prometer nunca mais incomodá-lo martelando ferraduras em seu casco. Acredita-se que a água vermelha e sulfurosa da nascente de Tunbridge Wells tenha sido estragada pelo Diabo quando tentou curar o seu nariz queimado.