Curiosidades » Segunda Guerra

Aliados doparam suas tropas com anfetaminas — assim como fazia o Führer

Os britânicos descobriram a droga em avião do Terceiro Reich abatido e usaram o método para aumentar o desempenho das tropas. O resultado foi catastrófico

André Nogueira Publicado em 01/05/2020, às 11h00

Imagem meramente ilustrativa de soldados da Segunda Guerra em uma guerrilha urbana, em 1943
Imagem meramente ilustrativa de soldados da Segunda Guerra em uma guerrilha urbana, em 1943 - Divulgação/Klimblim

Nos últimos anos, estão sendo divulgados diversos relatórios sobre o uso de metanfetamina e drogas similares pela Alemanha nazista, incluindo uso pessoal de Hitler. As tropas alemãs eram incentivadas a consumir Pervitin, para gerar atenção.

Entretanto, novos documentos revelam que os soldados britânicos e estadunidenses também faziam uso desse tipo de substância, principalmente cocaína e benzedrina, para aprimorar a energia física. Estudiosos apontam que o esforço de guerra foi tão punitivo e intenso, que estas substâncias foram liberadas em ambos os lados como forma de manutenção dos exércitos.

Medo, exaustão, fadiga mental, choque e cansaço; esses eram os principais sentimentos que perturbavam os soldados na Europa. O uso dessas drogas se tornou essencial para a sustentação das tropas por intermináveis horas de batalhas exaustivas e traumatizantes. A Wehrmacht, por exemplo, lutou por 10 dias seguidos contra os britânicos em Dunkirk e cobriu uma distância média de 35 km por dia.

Muitos efeitos dessas drogas são destrutivos em longo prazo, e mesmo no campo de batalha, muitos que as consumiam ficavam mentalmente ou fisicamente incapazes. Após o fim da guerra, esses esforços foram apagados pelos governos e ignorados pela mídia.

Benzedrina inalávl britânica / Crédito: Wikimedia Commons

 

Um exemplo comum na guerra foi o consumo de Pervitin pela Luftwaffe. Os pilotos eram mandados para missões de longo alcance, exigindo que ficassem acordados por horas seguidas. Quando o Gabinete Britânico descobriu o uso – após soldados tropeçarem num tablete da droga  e alertarem a Inteligência do país - e estimou o consumo de cerca de 35 milhões de comprimidos para 3 milhões de soldados alemães em 3 meses, o método pareceu bastante eficiente. Então, optaram pela Benzedrina.

O general Dwight D. Eisenhower, encomendou meio milhão de tabletes de benzedrina para as tropas americanas enviadas ao norte da África em 1942.


+Saiba mais sobre o nazismo por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Os fornos de Hitler, de Olga Lengyel (2018) - https://amzn.to/2S9UFYH

Terceiro Reich na história e na memória, de Richard J. Evans (2018) - https://amzn.to/353Tu2w

As mulheres do nazismo, de Wendy Lower (2014) - https://amzn.to/3bwrlDv

A vida secreta dos nazistas, de Paul Roland (2020) - https://amzn.to/2yy0qso

Filhos de nazistas: Os impressionantes retratos de família da elite do nazismo, de Tania Crasnianski (2018) - https://amzn.to/2wWv5iy

Hitler e o nazismo, de Richard Geary (2012) - https://amzn.to/2xThKIe

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W